GAY BLOG BR by SCRUFF

Após sua bem sucedida participação no Big Brother Brasil 21, o economista Gil do Vigor terá sua história contada no livro “Tem que vigorar!” que será lançado em junho, coincidindo com o mês do orgulho, mas já pode ser adquirido na pré-venda. A capa foi revelada nesta quarta-feira, dia 19 de maio.

As sessões de foto foram feitas em um estúdio em São Paulo na terça-feira (18) e, depois houve uma reunião para decidir qual das imagens seria a capa.

Livro autobiográfico do Gil do Vigor já tem capa e pré-venda: "Parece que estou sonhando"
Divulgação

“Parece que estou sonhando. Nunca imaginei que poderia ter um livro sobre a minha vida”, conta Gil.

Em “Tem que vigorar!”, Gil conta seus momentos preferidos no BBB, da infância pobre em Pernambuco e revela as dificuldades que passou na vida, como quando teve que morar na rua. Fala também dos momentos de violência do pai contra a mãe, sua relação com a fé e a igreja, de como a educação o salvou e a descoberta da sexualidade e seu processo de autoconhecimento e aceitação.

Com depoimentos de Jacira, mãe de Gil, Xuxa Meneghel e Deborah Secco, o livro traz ainda um dicionário com os memes e bordões do economista.

Divulgação

Mãe de Gil do Vigor proibiu que filho doasse 10% de seus prêmios para igreja

Com sua participação no BBB21, o economista pernambucano Gilberto José Nogueira Júnior ganhou cerca de R$ 225 mil em prêmios, valor maior que receberia o segundo lugar no reality. Entre celular, eletrodomésticos e carro, Gil do Vigor também possui mais de 12 milhões de seguidores no Instagram, tornando-se, assim, o ex-participante homem do BBB com mais seguidores na história do programa. Segundo o colunista Leo Dias, Dona Jacira Santana, sua mãe, também chegou a faturar cerca de 50 mil reais fazendo publieditoriais para seus 377 mil seguidores no Instagram.

Em abril, em conversa com João Luiz, Fiuk e Juliette, Gil chegou a cogitar doar parte do prêmio do reality show da Rede Globo, mas foi proibido por sua mãe. Caso ficasse em primeiro lugar, doaria 10% do prêmio de R$ 1,5 milhão para a igreja que frequentou.

“Na igreja, tem que guardar os domingos… Mainha falou assim: ‘se tu ganhar R$ 1,5 milhão, vai dar o dízimo? Falei: ‘tô pensando'”, disse gil. “Tudo? Vai dar R$ 1,5 milhão pro dízimo?”, questionou João Luiz. “Não. O dízimo é 10% de R$ 1,5 milhão, mas minha mãe não deixou nada”, explicou o economista. Posteriomente, Gil contou que não doará em razão da sua mãe.“É [dinheiro] de jogos mesmo. Não pode [doar à igreja]”, reafirmou João. “Só por isso. Infelizmente, R$ 150 mil ia pra lá”, finalizou Gil.

Em entrevista ao portal Folha de Pernambuco, Dona Jacira confirmou a informação: “Ele não vai dar não! Ele ‘num’ tá com a ‘muléstia’ de doar. Vai dar dinheiro para igreja milionária? Vai não. Ele pegue os 10% e dê às pessoas carentes que estão passando fome. Tudo pra ele é para a igreja, por isso que eu o proibi”, afirmou.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"