This article is also available in: Español

GAY BLOG BR by SCRUFF

Trabalhando na criação e produção do seu primeiro Álbum Visual, previsto para lançamento em 2021, a atriz, cantora e diretora, Marina Mathey lança o clipe Monstro dia 30 de outubro em seu Canal do YouTube e o single nas principais plataformas digitais.

Com clipe inspirado na Tropicália e no Modernismo brasileiro, a música é parte do show TRAVA, que estreou em 2018 no RISCO Festival, onde investiga os afetos e desafetos direcionados às corpas transvestigêneres por parte da cisgeneridade, o tesão e a pulsão de morte presente no cotidiano de uma travesti.

Para Marina, Monstro é um experimento suculento. “Sempre fui uma pessoa muito questionadora de mim mesma e da sociedade, e com essa música e clipe sinto que consegui expressar um pouco do que penso sobre os afetos que vivemos ou podemos viver consigo e com os outros. Também um desafio, pois além de atuar no clipe assino o roteiro e a direção.”

O single é de composição da atriz e escritora Letícia Bassit e conta com produção musical de Amanda Magalhães e Ed Woiski. Performática, Marina, que assina a direção e o roteiro desta produção independente, explorando as contradições entre a dependência afetiva dos seres humanos, a busca pelo encontro do outro e a descoberta do amor próprio, temas tão essenciais em tempos de pandemia.

“Meu encontro tanto com Letícia Bassit quanto com a Amanda Magalhães se deu na Escola de Arte Dramática, na USP. É um encontro de muitas mãos esse trabalho. Fico muito feliz da Amanda ter topado essa aventura de produzir o single, porque além de amigas e de já termos trabalhado juntas na série 3% (Netflix), para mim esse foi um encontro de duas potências de revolução, uma trans e a outra preta.”

Marina Mathey lança clipe inspirado na Tropicália investigando os afetos dos corpos trans
Reprodução

Em 2019, a artista circulou com o show TRAVA por espaços como o Teatro Oficina (Chama Festival), Teatro Sérgio Cardoso, Viga Espaço Cênico, Centro Cultural do Grajaú, entre outros – também por outras cidades do país, como Porto Seguro e Ilha de Boipeba, na Bahia, com produção da Corpo Rastreado. Ainda em 2019, lança seu primeiro single e videoclipe XV.

Cantora e atriz desde criança, Marina, que também é compositora, dançarina, diretora de cinema, curadora e produtora cultural pesquisa a intersecção das linguagens da dança, da música, do audiovisual e do teatro desenvolvendo projetos, ações e discussões em torno dos direitos e visibilidade de pessoas trans na sociedade.

“Não dá mais para vendermos uma imagem do Brasil como paraíso tropical abençoado por Deus – nunca deu na verdade. Vivemos uma desigualdade social gritante, uma violência brutal e constante, sem contar no desmatamento desenfreado das nossas vegetações. O tropicalismo agora é uma grande composteira, uma composTRAVA, que vem para se decompor com esses restos todos e transformar em adubo para o renovo, em potência de vida.”

“Vejo o lançamento desse clipe também como uma possibilidade de alcançar outros públicos com o meu trabalho. Muitos já conhecem a Marina atriz de 3%, agora quero que conheçam também meu trabalho autoral, minhas inquietações enquanto artista criadora”. Conclui a artista.

SERVIÇO:
Lançamento do clipe e single Monstro – de Marina Mathey.
Dia 30 de outubro através das mídias sociais Spotify, Deezer, Apple Music, YouTube, entre outras.

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".