GAY BLOG BR by SCRUFF

Aos 54 anos, a farmacêutica Claudia Montanari (PSOL) concorre a deputada estadual em São Paulo. Lésbica e moradora de Itu (SP), ela é uma das entrevistadas da semana no especial “Eleições 2022“, do Gay Blog BR.

Claudia Montanari, candidata a deputada estadual pelo PSOL de SP (Foto: Reprodução/ Twitter)

A decisão de sua candidatura, inicialmente, foi a possibilidade de expandir o PSOL no município de Itu. “[…] Mas depois foi o fato de saber que podemos fazer a diferença na Assembleia com o nosso conhecimento na área da saúde e também em outras áreas“, conta Claudia.

“Tenho pautas em todas as áreas, mas principalmente na saúde. Penso em trabalhar para um SUS mais inclusivo, livre de preconceitos, que vai desde o atendimento na recepção até o consultório médico”, pontua a candidata ao falar de suas propostas.

A saúde mental também é uma das suas principais bandeiras nessa área. “Quando trabalhei no CAPS, a maior dificuldade era conseguir vagas em hospitais psiquiátricos para paciente trans com transtornos psicóticos ou drogadição, isto é necessário mudar”, comenta.

Claudia Montanari (Foto: Reprodução/ Twitter)

Confira na íntegra a entrevista com Claudia Montanari

GAY BLOG BR: Qual a sua formação e trajetória profissional?

Claudia Montanari: Sou farmacêutica, formada pela UNESP, pós – graduada em Gestão da Assistência Farmacêutica pelo UNASUS/UFSC, sou concursada na Prefeitura de Cabreúva desde 2000, e lá já fui Secretaria de Saúde, coordenadora dá Atenção Básica, Coordenadora de Assistência Farmacêutica e tb Coordenadora de Saúde Mental, atualmente sou farmacêutica responsável na UPA do município, tb sou Conselheira do CRF-SP desde 2016, e faço parte dos Grupos Técnicos de Saúde Pública e Diversidade do Conselho.

GB: O que motivou a se candidatar?

Claudia: Inicialmente foi a possibilidade de expandir o partido no município, mas depois foi o fato de saber que podemos fazer a diferença na Assembleia com o nosso conhecimento na área da saúde e também em outras áreas.

GB: Quais os desafios enfrentados ao ser uma candidatura abertamente LGBTQ+?

Claudia: O preconceito é recorrente, com piadas e agressões com palavras. Mais se a gente não se impõe nunca chegaremos a nenhum lugar.

GB: Quais são as suas principais propostas? Há pautas exclusivamente para LGBTQ+?

Claudia: Tenho pautas em todas as áreas, mas principalmente na saúde. Penso em trabalhar para um SUS mais inclusivo, livre de preconceitos, que vai desde o atendimento na recepção até o consultório médico. Pauto muito a saúde mental. Quando trabalhei no CAPS, a maior dificuldade era conseguir vagas em hospitais psiquiátricos para paciente trans com transtornos psicóticos ou drogadição, isto é necessário mudar.

GB: Quais medidas você acredita serem necessárias para combater a LGBTfobia?

Claudia: Informação sempre será o caminho.

GB: O que você pensa sobre o uso e políticas da PrEP?

Claudia: Precisa ser ampliada e mais divulgada, quanto maior o acesso, menor a contaminação e transmissão, os farmacêuticos conseguiram o direito de fazer a prescrição do PrEP e PEP nas Unidades de Saúde, ai veio um ato médico que nos proibiu de fazer este tipo de atendimento. Em São Paulo, o CRF, fez parceria com o CRT para capacitação dos farmacêuticos da Rede Pública e vamos manter isto enquanto trabalhamos para derrubar a portaria que proibiu.

GB: Como você avalia o governo de Bolsonaro?

Claudia: Péssimo, destruidor, governo misógino e homofóbico!

Confira a lista de candidaturas LGBTQIA+ de 2022 neste link.

Lista de candidatos LGBTQ+ nas eleições 2022 | Deputados, Senadores, Governadores




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista gaúcho formado na Universidade Franciscana (UFN) e Especialista em Estudos de Gênero pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)