‘A homofobia não é uma ideia, é um crime’, diz Antoine Griezmann, capa da revista gay Têtu

O francês Antoine Griezmann (28), uma das grandes figuras do esporte em todo o mundo, reafirmou sua postura contra a homofobia no futebol ao colocar seu rosto na capa da Têtu, revista francesa dedicada a questões da comunidade LGBT+.

Antoine Griezmann (Foto: JAVIER SORIANO / AFP)
Antoine Griezmann (Foto: JAVIER SORIANO / AFP)

A capa da revista, que começou a circular nas redes sociais antes da publicação. O talentoso atacante francês, que deixará o Atlético de Madrid nas próximas semanas, falou sobre a importância de lutar para que todas as pessoas, independentemente de suas preferências sexuais, recebam tratamento respeitoso.

Em entrevista à Têtu, o jogador diz que “a homofobia não é uma ideia, é um crime”. Ele também pede o fim dos cânticos homofóbicos nos estádios de futebol.

Capa da revista TÊTU. Divulgação
Capa da revista TÊTU. Divulgação

“O futebol é um esporte bonito, não ser homofóbico. Há algumas semanas me tornei pai pela segunda vez e, cabe a nós, pais, educar nossos filhos para crescer em um mundo menos homofóbico e menos sexista”, disse Griezmann em entrevista.

O campeão mundial com a França na Rússia 2018, já havia expressado sua posição sobre gays nos esportes. O jogador participou do documentário ‘Futebolista e homossexual, no coração de um tabu’ e disse que os jogadores de futebol LGBT+ não devem se esconder. 

“Eu ficaria orgulhoso se [os jogadores gays] pudessem se assumir. Isso poderia abrir a porta para os outros. Se eles receberem críticas – porque sempre há críticas – eu os apoiaria a se sentirem orgulhosos, a continuarem felizes. Não o critique ou o insulte, faça todo o possível para estar perto deles e mostre que é normal, seja um amador, um jogador profissional, um treinador, um clube ou um presidente, você deve tentar dar um bom exemplo”, ressalta.