Ricky Martin: ‘não quero aparentar ter menos do que meus 46 anos’ 🕴

O cantor fala sobre seu papel em American Crime Story, paternidade e filantropia. E claro, sobre os seus 46 anos bem vividos

Ricky Martin está em uma das séries mais esperadas, The Assassination of Gianni Versace: American Crime Story, cujo enredo é sobre a vida e morte do designer de moda em Miami Beach. Ricky interpreta o amor de longa data de Versace, Antonio D’Amico, com cenas (quentes!) filmadas na icônica Casa Casuarina (também conhecida como Mansão Versace). Foi na mesma casa onde Versace foi baleado e morto por Andrew Cunanan, em julho de 1997. Naquela época, Martin estava saindo do grupo Menudo para seguir carreira solo.

Este mês, a revista americana Ocean Drive fez um editorial e uma entrevista com o cantor:

Ricky Martin para Ocean Drive Magazine
Ricky Martin para Ocean Drive Magazine

Muitas das estrelas de Hollywood tentam parar o envelhecimento com cirurgia plástica e enchimentos…
Eu adoro envelhecer. Tenho 46 anos; não quero parecer 36. Quero aparentar 46 mesmo. Quero parecer saudável para a minha idade. Acho que o problema vem quando as pessoas só querem parecer mais jovens. As pessoas ficam um pouco desesperadas. Eu só quero ficar bem.

Ricky Martin para Ocean Drive Magazine

O que fez você querer assumir esse papel em American Crime Story?
Muitas pessoas dizem: ‘Ricky, você consegue atuar?’ Mas você sabe, quando eu deixei os Menudos eu estava totalmente focado em minha atuação. Passei muitos anos me preparando para desempenhar papéis. Fui ao México e comecei a fazer teatro, depois fui para TV no México e na Argentina. Então, para mim, a atuação sempre foi muito importante. Estava em Los Angeles e recebi um telefonema de Ryan Murphy – com quem tive a oportunidade de trabalhar como convidado em Glee – e ele disse: “Rick, eu estou trabalhando nesta série, você está interessado?” Eu brinquei: “deixe-me pensar sobre”, sendo sarcástico. Claro que eu queria e fiquei honrado. Então eu comecei a pesquisar e aprender tudo sobre a história de Gianni. Ainda mais que tinha Edgar Ramirez, Penelope Cruz e Darren Criss no elenco. Estou feliz com os resultados. É muito dramático e poderoso, mas você também pode ver muito amor. O amor entre Antonio e Gianni foi muito bonito.

Ricky Martin para Ocean Drive Magazine

Você falou recentemente com Antonio (o affair de Versace)?
Eu tive a oportunidade de falar com Antonio alguns meses atrás, e eu disse: ‘Antonio, ouça, talvez você tenha visto algumas fotos de paparazzi das cenas que estamos filmando, mas não julgue a qualidade só por uma imagem porque poderia ser facilmente retirado do contexto. Você tem que ver o que estamos fazendo, e você ficará tão satisfeito com tudo.’

Ricky Martin para Ocean Drive Magazine

Como foi se assumir e conhecer seu atual namorado?
Adoro o que sinto quando estou em um relacionamento. Fiquei solteiro por dois anos e meio, me diverti. Tinha saído do armário e pense: “vou curtir a vida”. E então conheci Jwan, e desde o momento em que apertamos a mão pela primeira vez eu sabia que isso era especial. Ele sentiu o mesmo, e então tudo foi indo naturalmente. Você não pode forçar as coisas, e quando as coisas são muito evidentes você apenas tem que seguir o fluxo e desfrutar.

Ricky Martin para Ocean Drive Magazine

E o casamento?
Começamos a planejar nosso casamento enquanto eu estava fazendo Versace. Planejar um casamento é super cansativo. Queremos fazê-lo certo, espero que na próxima primavera. Faremos um evento que vai durar três dias. Ainda não sabemos onde vamos fazê-lo, pode ser que seja Los Angeles, Porto Rico, Espanha ou na Suécia. Agora estamos lidando com os convites. Também temos que lidar com o fato de que a maioria da família do meu noivo é da Síria, talvez eles não consigam entrar no país. Então, podemos considerar fazê-lo em Estocolmo ou na Espanha. Ainda não sabemos, mas será um ótimo evento. E as pessoas estarão falando sobre isso. Somos uma família moderna, e acho que as pessoas precisam ver uma família não heteronormativa. É por isso que estou tornando público e vou compartilhar meu casamento com o mundo.

Ricky Martin para Ocean Drive Magazine

Como ̩ em casa Рser um pai, com seus filhos?
Minha vida é muito simples. Meus filhos são educados em casa. Ando muito caseiro, não tenho tido vontade de sair da minha casa. Nós temos uma vida incrível. Meus filhos são incríveis; eles adoram as artes marciais. Muitas pessoas dizem: “Ei, Rick, seus filhos precisam de estabilidade.” E eu digo: “eu sou a estabilidade”. Eu queria ter tido a vida de meus filhos!

Ricky Martin para Ocean Drive Magazine

Conte-nos sobre a Fundação Ricky Martin.
Comecei a trabalhar e a combater o tráfico de seres humanos há pouco mais de 10 anos, quando um colega meu convidou para a Índia. Ele estava construindo um orfanato e, naquela época, eu estava procurando alguma desculpa para ir à Índia. Então peguei um avião e, do aeroporto, ele me levou para as favelas para resgatar garotas. Eu disse: “O que você quer dizer com ‘resgatar garotas’?” Infelizmente, a maioria das meninas nas favelas é forçada a se prostituir. Comecei a estudar sobre tráfico de seres humanos. Eu nem sabia que esse crime tinha um nome. Então eu fui a Washington e conversei com o Congresso e comecei meu ativismo. É importante falar desse assunto claramente. Esta é a escravidão moderna. Há mais escravas sexuais do que nunca na história do mundo. Finalmente, consegui construir um centro holístico em Porto Rico para jovens que poderiam ser vítimas de exploração. Estamos a dar-lhes as ferramentas para não caírem no tráfico de crianças.

Ricky Martin para Ocean Drive Magazine

Com tantas carreiras e causas e papéis, quem é Ricky Martin?
Em primeiro lugar, eu sou pai. Meu papel como pai é aquele com o qual eu estou obcecado. Toda decisão que tomo na minha carreira ou na minha vida pessoal baseia-se no bem-estar dos meus filhos. Quero ser lembrado como alguém que trabalhou desde os 12 anos. Eu sou alguém que ama a justiça, e é por isso que me apaixonado pelo meu trabalho filantrópico e minha fundação, porque se eu tiver o poder de alcançar pessoas com minha música e meus shows e falar sobre coisas que realmente importam – neste caso, tráfico de seres humanos – então é algo que eu acho que as pessoas precisam saber. Eu sou alguém que aproveita minha carreira para tocar muitas pessoas de várias maneiras, não só na minha música, mas também tentando criar alguma consciência sobre esse horrível crime. Sou alguém que vive livremente.

Conheça a fundação no link: rickymartinfoundation.org

Anúncios