O filme Alice Júnior, que levou o prêmio do júri no Festival Mix Brasil em 2019 pela categoria “Melhor Interpretação” para a atriz Alice e “Melhor Longa-Metragem Nacional” pela Júri Popular, terá sua pré-estreia no Belas Artes Drive-In, localizado no Memorial da América Latina. A exibição será às 18h, no dia 4 de setembro, sexta-feira.

- CURTA A PÁGINA DO FACEBOOK -

Alice Júnior é um filme estrelado por Anne Mota e dirigido por Gil Barroni que teve sua première nacional em setembro de 2019, durante o Festival de Vitória. Dois meses mais tarde, ele foi exibido na “Mostra Première Brasil: Geração”, do 21º Festival do Rio. O filme teve sua estreia internacional em fevereiro de 2020, durante o Festival Internacional de Cinema de Berlim.

O longa metragem foi elogiado por abordar as questões que os jovens transgênero passam sem focar no drama, mesmo que os sofrimentos dela sejam levados a sério. A ideia de Gil Baroni é não fazer um olhar de julgamento sobre as pessoas que desconhecem a realidade das pessoas trans, mas este passa a se tornar um problema quando a informação chega até a pessoa, porém ela própria se recusa a entender a realidade da mulher trans. Além disso, vemos uma pessoa como outra qualquer: que vive problemas no colégio, tem problemas de autoestima e inseguranças com seu primeiro beijo.

“Alice é uma adolescente trans cheia de carisma que investe seu tempo fazendo vídeos para o Youtube. Um dia, seu pai, Jean, é transferido pela empresa do Recife para Araucárias do Sul, e eles precisam se mudar. Na nova escola, Alice enfrenta preconceitos ao se deparar com uma sociedade mais retrógrada do que estava acostumada. O desejo da menina é dar seu primeiro beijo, mas, antes de tudo, quer o direito de ser quem ela é.” – diz a sinopse.

SERVIÇO

Pré-estreia “Alice Junior”
Sexta-feira, 04 de setembro, às 18h
Petra Belas Artes – Memorial da América Latina
Rua Tagipuru, s/n – entrada pela Uninove – São Paulo, SP
Mais infos: cinebelasartes.com.br/drive-in/

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".