A série mexicana “La Casa de Las Flores” disponibilizou episódios inéditos de sua última temporada na quinta-feira (23), na Netflix. A trama se ambienta em uma floricultura familiar, aparentemente bem-sucedida e idílica, mas cheia de segredos. Com humor, o seriado explora a necessidade de proteger e perdoar os entes queridos, não importa o quão desconfortável isso possa ser. Questões como bissexualidade e transexualidade também são abordadas na série.

No quinto episódio da terceira temporada, em discussão entre a personagem Paulina de la Mora (Cecília Suarez) e Diego Olvera (Juan Pablo Medina), a personagem usa o sobrenome Bolsonaro como sinônimo de “burro”. Na cena, ela grita para o homem: “Cale a boca! Você é burro? Você é do Alabama? Seu sobrenome é Bolsonaro ou o quê?”.

A série é dirigida por seu criador Manolo Caro e estrelada por Veronica Castro, Cecilia Suarez, Aislinn Derbez, Sheryl Rubio, Dario Yazbek Bernal, Juan Pablo Medina, Arturo Ríos, Claudette Maille, Lucas Velasquez, Sofia Sisniega, Paco León, e Luis de la Rosa. O ex-RBD Christian Chávez já fez uma participação especial no seriado.

Para quem quiser assistir “La Casa de Las Flores”:
https://www.netflix.com/title/80160935

Pesquisa da Netflix revela que 7 entre 10 jovens brasileiros procuram representatividade na tela

Pesquisa da Netflix revela que 7 entre 10 jovens brasileiros procuram representatividade na tela

A representatividade nos dilemas de Doni, Rita e Nando, em Sintonia, as questões de Otis, em Sex Education, e até os dramas amorosos de Lara Jean, em Para Todos os Garotos Que Já Amei, não são apenas uma ficção para os jovens brasileiros.

Em pesquisa feita pela Netflix, com 1000 jovens brasileiros entre 16 e 25 anos, ficou claro que eles querem se enxergar na tela, já que 7 entre cada 10 pessoas disse que personagens parecidos com elxs e seus amigues é um fator importante para escolher a qual filme ou série assistir. Continue lendo.