This article is also available in: Español

GAY BLOG BR by SCRUFF

Modelo, cantora e atriz. Grace Jones é uma das figuras mais extravagantes do showbizz. Musa de Andy Warhol, e também dos gays desde a década de setenta, quando ostentava um visual andrógino e figurinos exóticos que se tornaram tendências. No entanto, a vida da multitalentosa jamaicana de 72 anos é pontuada por diversos escândalos, fazendo jus à personalidade forte, assim como o seu timbre de voz.

capa de show
Grace Jones/Reprodução

Nascida em Spanish Town (Jamaica), Jones, aos 13 anos, foi para Nova York com a família. Filha de pais evangélicos ‘fanáticos’, logo ela se rebelou contra eles, começou a beber, usar maquiagem e ir a clubes gays. No curso de teatro, seu professor a convidou para viajar para Filadélfia. Na cidade, Jones se juntou a uma comunidade hippie, viveu com eles durante um tempo, trabalhando como gogo dancer em casas noturnas e experimentando drogas como LSD, que naquela época havia o conceito de expandir a mente.

Grace Jones/Reprodução

Alguns anos depois, aos 18, assinou contrato com uma agência de modelos e logo foi enviada a Paris. O sucesso na moda fez com que ela vivesse entre Nova York e Paris, caindo nas graças de estilistas como Yves Saint Laurent, Kenzo e outros, estampando capas de publicações como Vogue, Stern e Elle. Na capital da moda, dividiu apartamento com Jerry Hall (ex-esposa de Mick Jagger) e Jessica Lange (antes de se tornar atriz), onde frequentou a noite gay parisiense, fazendo amigos como Giorgio Armani e Karl Lagerfeld. Em 1973, ela foi capa do disco do cantor Billy Paul.

Anos 70
Grace Jones – Foto Anthony Barboza

A bela figura negra de 1,79m e corpo escultural não se contentou com as passarelas. Em 1977, ela assina com uma gravadora, lançando três discos ao longo de três anos. Um álbum por ano de grande sucesso no auge da discoteca. A consagração musical viria em 1978, quando regravou a canção francesa La Vie en Rose.

Vogue
Grace Jones Reprodução

Era presença assídua no famoso clube noturno Studio 54, geralmente na companhia do símbolo da pop art Andy Warhol. Na década seguinte, ela lançaria mais alguns trabalhos musicais e se dedicaria ao cinema. Em 1984, atua no filme Conan – O Destruidor, ao lado de Arnold Schwarzenegger. No ano seguinte, com Roger Moore, em 007 Na Mira dos Assassinos, e em 1986, protagonizou o filme terror “Vamp”, que conta com uma cena de streapstease bastante sensual para a época.

Aliás, nos anos 1980, a cantora teve que se adaptar à onda da New Wave. O visual continuou andrógino, porém usando um corte de cabelo “caixa” (imitado por muitos afroamericanos) e se apresentando em diversos shows usando uma pintura corporal tribal (obra do artista Jean-Paul Goude, com quem Jones teria um filho fruto de um breve relacionamento).

Vamp
Grace Jones Reprodução

Em 1990, ela atua no filme Boomerang com Eddie Murphy e Earth Kitty (outra musa da comunidade gay). No filme, sua personagem é a própria Grace da vida real: desbocada, sexy e escandalosa, rendendo as melhores cenas do filme.

Dona de uma personalidade forte, e com total controle sobre seu trabalho, isso fez com que Grace Jones ficasse quase duas décadas sem lançar nenhum álbum inédito, se recusando a seguir as regras das grandes gravadoras, que queriam interferir na sua imagem e repertório. Ela, no entanto, não sumiu do mapa e rodou o mundo fazendo shows relembrando seus antigos sucessos, com presença de público garantida. Somente em 2008, a cantora lançou um novo trabalho intitulado “Hurricane”, através de um selo musical independente.

Escândalos e Polêmicas

Em 1981, ao participar de um talk show britânico, Jones desferiu vários tapas no apresentador após se sentir ignorada por ele. Um dos momentos mais constrangedores e engraçados da TV.

Na edição italiana de setembro de 1987, a revista Playboy exibia a nudez de Grace Jones, que fez questão que o ensaio fosse junto de seu namorado na época, o modelo/ator Dolph Lundgren. A jamaicana foi uma das pessoas que mais impulsionou a carreira de Lundgren, que buscava uma chance em Hollywood.

Playboy
Grace Jones Reprodução

Figura frequente no Brasil desde os anos 1970, Jones esteve no Rio de Janeiro e Bahia diversas vezes, além de fazer vários shows em São Paulo. No carnaval no Rio, em 1996, foi convidada a se retirar do camarote caso não controlasse os amassos públicos com o namorado turco (o segurança Átila Altaunbay). Ela inclusive casou-se com ele, cinco dias após conhecê-lo na cidade maravilhosa, em uma cerimônia improvisada realizada por um pastor, em uma apartamento luxuoso no Leblon, mas o relacionamento só durou alguns meses.

Casamento
Grace Jones – Reprodução Jornal do Brasil

Em 1998, foi banida de todos os parques da Disney, após ter exibido os seios durante um show na terra do Mickey. As polêmicas na vida da cantora, atriz e ex-modelo, deram um hiato de alguns anos. Entretanto, em 2005, Jones foi acusada de agredir verbalmente uma funcionária do trem da Eurostar. A imprensa noticiou na época que a confusão teria começado quando foi solicitado o bilhete da primeira classe, e aparentemente a artista teria um bilhete correspondente a uma classe inferior no trem, se recusando a deixar a categoria mais luxuosa, rendendo uma confusão a bordo.

Grace Jones Reprodução

Há alguns anos, Grace Jones recusou uma parceria com Lady Gaga, que havia convidado a cantora para protagonizar um videoclipe juntas. Na ocasião, a jamaicana declarou: “Apenas prefiro trabalhar com alguém que é mais original e que não me copia. Você sabe, eu vi algumas coisas que ela usou que eu já tinha usado, e isso meio que me tira do sério.”

Grace Jones Reprodução

Sua vida deu origem a autobiografia “I’ll never write my memoirs”, em que relata ter sofrido maus tratos de seu padrasto. A trajetória da artista também rendeu um documentário (muito chato) chamado “Grace Jones: Bloodlight and Bami”, que não condiz com a grandiosidade de sua carreira.

publicidade
Grace Jones Reprodução

Grace Jones atualmente vive entre a Jamaica e Londres, tem um filho que costuma acompanhá-la nos shows como músico, e seus últimos trabalhos tem abusado de batidas eletrônicas.

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.