GAY BLOG BR by SCRUFF

O youtuber e diarista carioca Jhonathan Leão (24) descreve sua trajetória como sendo de luta, sabedoria e aprendizado. Oriundo de uma família evangélica, sofreu agressões do padrasto quando revelou ser gay ainda na adolescência. O relacionamento abusivo vivenciado por sua mãe se repetiria em sua vida como um ciclo, quando aos 14 anos se relacionou com um homem de 38 anos, sendo alvo de agressões verbais e físicas.

Diarista gay cria canal no Youtube para dar dicas de limpeza e conselhos amorosos
Jhonathan Leão – Reprodução

Livre dos abusos, ele foi atrás da sua independência, trabalhou como faxineiro em uma boate LGBT+, onde passou por situações lamentáveis por parte da própria comunidade gay, até que resolveu dar um basta e mudou de segmento.

Há dois anos e meio, Leão trabalha como diarista em residências de homens gays e, antes da pandemia, também conseguia atuar como barman de uma festa. Com a conclusão do ensino médio, patrocinado por algumas pessoas que souberam da sua luta diária, Leão é morador do município de Duque de Caxias, baixada Fluminense do Rio de Janeiro, e seus objetivos incluem se tornar um Youtuber conhecido e cursar uma universidade.

foto
Jhonathan Leão – crédito: acervo pessoal

Como é se descobri gay em uma família evangélica?

Eu sempre soube da minha orientação sexual, o que me afastou da igreja foi saber que algo que eu amava me condenava perante a escrita do homem e a honra a Deus. Então, eu não achava justo seguir uma religião que me condenava, mas acredito num Deus de amor, de respeito, de acolhimento e de proteção.

Aos 14 anos você se relacionou com um homem de 38 e, após um tempo, descobriu estar em uma relação abusiva. Você não considerava ele sendo pedófilo?

Não, porque nós conhecemos numa festa e ele foi até minha casa para pedir pra namorar comigo e minha mãe sabia que se não deixasse, eu iria faltar aula para ficar com ele. Mesmo sabendo que na época ele era mais velho que eu 24 anos.

Como você percebeu que vivia em uma relação abusiva? E como conseguiu sair desse relacionamento?

Todos nós que vivemos numa relação abusiva, muitas vezes não enxergamos porque a gente acaba se acostumando com o errado que, na nossa mente não passa de ciúme do agressor. Eu consegui me livrar dessa relação abusiva. Quando fomos em uma festa, ele disse que eu estava olhando para diversos rapazes, sendo que na minha mente só existia eu, ele e meus amigos gays. Eu não conhecia o mundo gay. Eu não tinha dimensão. E quando chegamos em casa, ele me bateu e me jogou no banheiro, caí e fui parar no hospital com minha mãe. E ela já sabia, porque mãe conhece o filho, e depois daquele dia eu nunca mais voltei para aquela casa dele.
.
Isso afetou os seus relacionamentos posteriores?
Sim, eu fiquei um bom tempo sem me relacionar depois dessa relação, eu fui namorar 5 anos depois, porque eu tinha medo de ouvir falas, gestos e atitudes parecidas. Eu pensava que todos que me conhecessem iriam me bater e me tratar mal.
.

A faxina entrou na sua vida, quando você trabalhou na limpeza de uma boate. Você chegou a sofrer algum tipo de discriminação de outros gays? 

Sim, e eu fico muito triste em saber que uma classe que pede respeito é a mesma que desrespeita. Eu não me sinto orgulhoso de fazer parte de uma classe que machuca nas palavras porque vivem como patrões, que sente gosto em te por para baixo. Eu fico muito chateado em saber que, nos dias de hoje, onde a internet domina o mundo, ainda temos 97% de transsexuais e travestis tendo que estar nas ruas. Espero um dia que a minha classe entenda que a letra L não significa linda e sim lealdade à comunidade, que possamos aprender a respeitar o próximo.
.
foto
Jhonathan Leão – crédito: acervo pessoal

Há dois anos e meio você trabalha como diarista. Você atua basicamente em residências de gays, muitas cantadas?

Sim, como meu público é mais gay, eles romantizam muito o profissional com o sexual, em outras palavras, como um fetiche. Eu não gosto de misturar o meu trabalho com sexo, ninguém vai ao dentista mexer nos dentes e pede para transar. Eu não teria problema em sair com um cliente que contrate minha faxina, mas precisamos separar o profissional do sexual. É simples, quer o meu trabalho e está afim de mim? Fale: “Olha só, Jhonathan, tô afim de você e quero que você trabalhe pra mim”, se eu estiver afim, eu vou fazer o meu trabalho, limpar a sua casa e depois tomamos algo e conversamos e ponto. Quem fala a verdade não merece castigo.
.

E assédios? Já sofreu?

Lógico, tem clientes que passam excitados, de toalha e a deixa cair, muitas vezes eu queria xingar, gritar ou até mesmo falar: “Olha fiquei afim de você, deixa eu fazer o meu trabalho e depois conversamos. Só me respeite enquanto profissional”. Mas muitas vezes eu tenho medo, porque preciso do dinheiro e penso que eles podem ficar com raiva e mandar eu ir embora. Então eu finjo que não é comigo e continuo fazendo minha faxina.
.
Jhonathan Leão - crédito: acervo pessoal
Jhonathan Leão – crédito: acervo pessoal

Você também é Youtuber, onde grava vídeos das suas faxinas, vídeos de humor etc. Está nos planos viver só como produtor de conteúdo?

Sim, geralmente, antes deu ir pra casa do cliente eu pergunto se posso gravar, para mostrar para a galera como funciona, dar dicas de como lavar louça, quais produtos usar enfim. Se o cliente libera, eu gravo, se não, eu fico triste (risos). No meu canal falo sobre minha história, faço quadros como o ‘SAC amoroso do Leão’ com o intuito de ouvir áudios de 30/40 segundos e dar um conselho para a galera sobre amor e levar alegria. Meu sonho é estourar na internet, mas de forma normal como eu sou, sem pisar em ninguém, sem falar mal e sem confusão. No meu canal eu também contei que um seguidor, chamado Bruno, conheceu minha história e com amigos pagaram todo o meu ensino médio. Deus sabe de todas as coisas, e aos poucos chegamos lá.
.
Acompanhe Jhonathan Leão no Youtube e no Instagram.
.

.

Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.