Argentina sediará o primeiro torneio de tênis do circuito gay na América do Sul

Será realizado de 17 a 19 de novembro no Club Italiano de Buenos Aires. Serão cinco categorias divididas de acordo com o nível do jogo

Buenos Aires vai receber o primeiro torneio internacional que a Aliança de Tênis Gay e Lésbica (GLTA, na sigla em inglês) realizou na América do Sul. O torneio acontecerá entre os dias 17 a 19 de novembro nas quadras de saibro do Club Italiano.

Dogos Tênis Tenis, que fazem parte da Associação Argentina de Atletas pela Diversidade (AADD).
Dogos Tenis, que faz parte da Associação Argentina de Atletas pela Diversidade (foto: reprodução)

“Essas associações e torneio existem porque nós fomos invisíveis por muitos anos. No caso do tênis, mais especificamente, era considerado um esporte de elite, não havia apoio estatal como existe em outros países do mundo”, disse ao jornal local Clarín Aldo Fernández, integrante da Associação Argentina de Desportistas pela Diversidade.

“A maioria dos participantes é de 30, 35 ou 40. Toda uma geração em que a discriminação era muito forte, não era fácil nos tornarmos visíveis como pessoas LGBT, primeiro em nossas famílias e em segundo lugar em clubes”, disse ele.

O GLTA, que é comandado pela Organização Internacional de Tênis LGBT (Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais), organiza torneios em todo o mundo, mas será a primeira vez na América do Sul.

Haverá cinco categorias, organizadas de acordo com o nível dos jogadores. Com pouco mais  de um mês após a abertura de inscrições, já são mais de quarenta participantes, incluindo jogadores da Holanda, Espanha, Alemanha e Chile.

Depois de ressaltar que “o torneio está aberto a todas as orientações sexuais”, Fernandez insistiu na importância de “ter associações que trabalhem na questão da inclusão por meio do esporte” e lançou uma ordem para entidades como a Associação Argentina de Tênis (AAT) e da Associação Argentina de Futebol (AFA).

“Ainda em nosso país, associações tradicionais não têm uma política de abertura à diversidade sexual”, afirmou. “Espero que a Associação (AAT) possa comparecer à cerimônia de premiação”, completa.

O local do torneio será o Clube Italiano, que é a casa do time Dogos: “Abrimos as portas, praticamos dois dias por semana, temos uma escola de tênis LGBT com professores do clube”, concluiu, agradecido. Com informações do Clarín.

Turismo LGBT tem destaque em Colônia, na Alemanha