GAY BLOG BR by SCRUFF

Depois de se tornar referência em Diversidade e Inclusão, empresas como BradescoCoca-Cola e Nubank começam a influenciar comunidade e parceiros com suas políticas afirmativas. A segunda onda de ações de inclusão e equidade, que inclui transformação social, será debatida pelas empresas e especialistas no Fórum de Diversidade da Amcham-São Paulo, que acontece na quinta-feira (27/9), das 8h às 12h30.

diversidade gay pride flag mercado profissional
Foto: Getty

No fórum, também participam a cantora Gaby Amarantos e a jornalista Monique Evelle, que abordam temas de diversidade, empreendedorismo e inclusão. O encontro se divide em três painéis e contempla a experiência das empresas em recrutar, formar parcerias e transformar o negócio a partir da Diversidade.

A atração de profissionais, primeiro passo para a inclusão, reúne Ana Paula Vargas Maia, gerente de marcas do Nubank, e Vladimir Abreu, sócio na área de Negócios Imobiliários do Tozzini Freire Advogados. Tabata Contri, consultora de Inclusão de Profissionais com Deficiência nas Organizações da Talento Incluir, modera o debate.

No painel sobre raça, gênero, sexualidade e PCD (Pessoas Com Deficiência), participam Guilherme Bara, gerente de Relacionamento e Diversidade da Fundação Espaço ECO na BasfDaniela Mourão, professora da Faculdade de Engenharia da UNESP, e Mylene Ramos, juíza Federal do Trabalho do TRT da 2ª Região. A moderação é de Ricardo Sales, sócio-fundador da Mais Diversidade.

O último painel é dedicado a parcerias empresariais, com participação de Caio Magri, diretor presidente do Instituto EthosJosé Vicente, fundador e reitor da Fundação Zumbi dos PalmaresVictor Queiroz, diretor de Recursos Humanos do Bradesco, e Katielle Haffner, gerente sênior de Sustentabilidade e Categoria da Coca-Cola. Reinaldo Bulgarelli, fundador da Txai Consultoria, modera o painel.

Comercial da Coca-Cola traz irmão e irmã brigando pelo mesmo cara

A diversidade sexual e de gênero (DSG), ou simplesmente diversidade sexual, é um termo usado para referir-se de maneira inclusiva a toda a diversidade de sexos, orientações sexuais e identidades de gênero, sem necessidade de especificar cada uma das identidades que compreendem esta pluralidade. No Ocidente, geralmente utilizam-se classificações simples e herméticas para o sexo (homens, mulheres e intersexuais), para a orientação sexual (heterossexuais, homossexuais e bissexuais) e para a identidade de gênero (transgéneros e cisgêneros), reunidas sob a sigla LGBTI (lésbicas, gays, bissexuais, transgêneros/transexuais e intersexuais). No entanto, outras culturas possuem maneiras diferentes de entender o sistema sexual: nas últimas décadas, têm-se popularizado diversas teorias da sexologia, como a escala de Kinsey e a teoria queer, as quais propõem que esta classificação resulta insuficiente para descrever a complexidade da sexualidade na espécie humana e em outras espécies animais.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.