De acordo com informações apuradas pela Gamehall, o The Last of Us Part II não será lançado em praticamente todos os países do oriente médio por contar com conteúdo LGBT e cenas de nudez, sendo que ambos são proibidos em locais onde impera o islamismo.

GAY BLOG BR by SCRUFF

Por essa razão, jogos anteriores que tinham cenas com personagens nus chegaram a ser censurados por desenvolvedoras como a Ubisoft. Alguns outros games de sucesso, como The Witcher 3, também teve seu conteúdo alterado pela desenvolvedora CD Projekt.

Como o romance lésbico entre as duas protagonistas faz parte da “trama central” do game, não é algo que os desenvolvedores simplesmente podem “cortar”, e, portanto, o jogo não será lançado por lá. A exceção fica por conta de Israel, sendo o único país do Oriente Médio não islâmico.

Já no resto do mundo, The Last of Us Part II chegará no dia 19 de junho e é exclusivo para PlayStation 4.

Personagens gays em The Last of Us Part II

A primeira demonstração de um gameplay do game veio na E3 de 2018, finalizando com um beijo lésbico entre a protagonista Ellie e a personagem Dina. Após os eventos do primeiro jogo, ficou uma dúvida entre os gamers se a personagem era, de fato, lésbica.

Procurada pela IGN norte-americana, a co-escritora do game, Halley Gross, disse que a orientação sexual da personagem é importante para a história do game, já que demonstra o cotidiano da personagem e, portanto, não seria honesto omitir o fato dela ser lésbica.

“Ellie é gay. Ela nasceu gay. Essa é quem ela é. E para explorar quem ela é como adolescente e como uma adulta, não honraremos a personagem ao esconder um lado dela. Nós queremos participar com ela como uma personagem completa. Ela também é uma ótima atiradora e uma ótima lutadora, mas ela tem 19 anos. 19 é uma idade divertida.”

Artista lança clipe e game com releitura feminista LGBTQI+ de Super Mario Bros

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".