Durante o programa Live CNN, no CNN Brasil, o comentarista Leandro Narloch deu diversas declarações consideradas homofóbicas nesta quarta-feira, dia 8 de julho, ao afirmar que a mudança na legislação que permite que os homens gays poderem doar sangue representa uma “pequena mudança” na sociedade e que os “gays têm uma chance muito maior de ter Aids”.

“A mudança na verdade é pequena, ela vai restringir mais a conduta e não o tipo de pessoa, a opção sexual (sic) do indivíduo. Toda essa polêmica começou porque, não há dúvida disso, os gays, os homens gays, eles têm uma chance muito maior de ter Aids, né? Em 2018, uma pesquisa mostrou que 25% dos gays de São Paulo eram portadores de HIV. Mesmo que esse número seja exagerado, e de fato ele parece mesmo exagerado, o fato é que é dezenas de vezes maior a chance [do homossexual ter HIV] do que na população em geral. A questão é que outros critérios para exclusão já restringem os gays que têm comportamento promíscuo, né?”, disse Leandro Narloch.

Apesar do polêmico comentário, ele também disse que a regra, até então, era injusta com boa parte dos homens gays que se cuidavam e tinham apenas um parceiro durante toda a vida.

“Se você simplesmente fizer uma regra, como já existem em vários hemocentros, que exclui as pessoas que têm muitos parceiros sexuais ou sexo sem camisinha, você já retira todo o problema. Então aí é uma pequena mudança e, sim, muito boa”. Com informações de Notícias da TV.

Jornalista da CNN associa homens gays a promiscuidade e diz que têm mais chance de terem AIDS
Reprodução

57,74% dos brasileiros que contraem HIV através de sexo são heterossexuais

No Boletim Epidemiológico de HIV/AIDS do Departamento de Doenças de Condições Crônicas e Infecções Sexualmente Transmissíveis, da Secretaria de Vigilância em Saúde, do Ministério da Saúde (DCCI/SVS/MS) atualizado em dezembro de 2019, aponta que 248.520 brasileiros contraíram o vírus HIV entre 2007 e 2019 através de relações sexuais. Do sexo masculino, 88.426 são homossexuais, 16.588 são bissexuais e 64.390 são heterossexuais. Do sexo feminino, 79.116 são heterossexuais.

Ao total, no período de registro oficial (2007 a 2019), 105.014 dos que contraíram HIV através do sexo são HSH (homens que fazem sexo com homens) e 143.506 são heterossexuais. Em proporção, 57,74% dos heterossexuais contraíram HIV através de relações sexuais.

Confira tabela divulgada pela Ministério da saúde em dezembro de 2019:

Tabela 5 do Boletim do Ministério da Saúde divulgado em dezembro de 2019

Para conferir o documento (em PDF) na íntegra, acesse este link.

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".