Um estudo feito pela Save.Health concluiu que a maior parte dos LGBTs preferem os pelos pubianos aparados. Para a pesquisa, foram entrevistadas 1,207 pessoas, sendo que 22% disseram fazer parte da comunidade e entre eles, cerca de 58% das mulheres e 65% dos homens disseram preferir os pelos aparados.

CHRIS CLINTON
CHRIS CLINTON

Ainda na mesma pesquisa, 51% dos homens gays e 59% das lésbicas disseram que não estavam muitos dispostos a transar com parceiros que não aparam os pelos, especialmente para o sexo oral.

Quando questionados sobre a situação dos próprios pelos, 5% dos gays disseram que depilam 100% do corpo, enquanto 62% disseram aparar regiões e os outros 33% disseram não fazer nada. Quanto as lésbicas, 54% aparam, 24% deixam natural, e 22% raspam tudo.

“Estávamos interessados em saber o quanto os pelos pubianos estão relacionados com a satisfação no relacionamento, e o quanto isso pode ser um empecilho em todas as orientações sexuais” – disse Skyler Acevedo, um membro da Save.Health, ao Pink News.

Acevedo também diz que pesquisa veio porque o mês do orgulho (junho) está se aproximando, então eles queriam explorar um tema “mais leve”, porém ainda tabu.

Foto: Reprodução

POR QUE TEMOS PELOS PUBIANOS?

De acordo com o canal HypeScience, a teoria mais aceita da existência dos pelos pubianos é aumentar as nossas chances de arrumarmos um parceiro sexual, fazendo sentido pelo ponto de vista biológico, porém os costumes culturais que nos ensinam que devemos depilar ou aparar os pelos.

“O pelo nas axilas e região púbica tende a aparecer durante a puberdade, ao mesmo tempo que suas glândulas sudoríparas apócrinas se tornam ativas e começam a secretar uma substância oleosa que contém uma variedade de proteínas. Estas glândulas apócrinas estão, entre alguns outros lugares, concentradas em suas axilas e genitais, ao contrário de seu outro tipo principal de glândulas sudoríparas, as glândulas écrinas, que são bem distribuídas por todo o corpo.”

Além disso, ambos os pelos começam a desaparecer quando as pessoas chegam aos cinquenta anos, sendo mais um indicativo de que eles surgem para encontrarmos um parceiro.

Os pelos das axilas e do púbis ficam embebido com feromônios que tornam a pessoa mais atraente, e essa secreção acaba adquirindo um cheiro quando é colonizada por micróbios.

Curiosamente, cada grupo de pessoas possuem um próprio cheiro devido ao Complexo Principal de Histocompabilidade (CPH), e um estudo apontado pelo artigo da HypeScience feito com mulheres heterossexuais comprovou que elas se sentem mais atraídas pelos homens com o CPH diferente. Com informações de Pink News.

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".