FOTOS: Edição novembro do Bloco Tome Conta de Mim @ Rio de Janeiro

Antecipando o carnaval com axé, o Bloco Tome Conta de Mim se concentrou no sábado (10) no Largo do Boi Tolo, Centro do Rio de Janeiro

Em país de Carnaval, folião não fica órfão. O Bloco Tome Conta de Mim se concentrou em pleno mês de novembro para trazer um pouco do axé do carnaval da Bahia para o centro do Rio de Janeiro. Vinícius Yamada, Vermelho, Rodrigo Jacques, Mercedes Cordeiro, Leandro Melo, Chico Filho & Akhaê armaram mais uma edição do melhor bloco de axé do Rio de Janeiro. Fotos de Felipe Pilotto:

Bloco, que teve sua estreia no final de 2016, vem ganhando público fiel e elogios pelas redes sociais. “A gente quer mesmo é que as pessoas se divirtam decentemente, nos preocupamos com todos os detalhes, desde a solicitação de alvará pela prefeitura e até a contratação de banheiro químico e limpeza da praça”, comenta Akhaê, fundador do bloco.

axé, estandarte musical do bloco, foi presente nesta edição e acompanhado com os instrumentistas Marcelo Cebukin, Tatyane Meyer e Santiago. No som, DJ Silvio Maranhão (RJ) como convidado e os residentes  DJ Douglas Silva (SP),  EletroAfroBikeBananoBike com os mashups do Rapha Bertazi.

O AXÉ
O axé, ou axé music, é um gênero musical que surgiu no estado da Bahia na década de 1980 durante as manifestações populares do Carnaval de Salvador, misturando o ijexá,samba-reggae, frevo, reggae, merengue, forró, samba duro, ritmos do candomblé, pop rock, bem como outros ritmos afro-brasileiros e afro-latinos.

No entanto, o termo “axé” é utilizado erroneamente para designar todos os ritmos de raízes africanas ou o estilo de música de qualquer banda ou artista que provém da Bahia. Sabe-se hoje, que nem toda música baiana é axé, pois lá há o samba-reggae, representado principalmente pelo bloco afro Olodum, o samba de roda, o ijexá — tocado com variações diversas por bandas percussivas de blocos afro como Filhos de Ghandi, Cortejo Afro, Ilê Aiyê, e Muzenza, entre outros —, o pagode baiano e até uma variação de frevo, bem como o sertanejo e forró etc