Após comentário homofóbico do radialista Luiz Gama, da BandNews Goiânia, o Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Estado de Goiás emitiu uma nota de repúdio, prestando apoio aos profissionais que se sentiram ofendidos. A nota foi publicada no último sábado, 16 de novembro.

GAY BLOG BR by SCRUFF

Para contextualizar, Gama se referiu no Twitter, muito provavelmente, ao jornalista Matheus Ribeiro, que recentemente apresentou o Jornal Nacional e ficou conhecido no Brasil inteiro a ser o primeiro apresentador gay do JN.

Matheus Ribeiro vai processar jornalista homofóbico
Matheus Ribeiro vai processar jornalista homofóbico (Foto: Reprodução)

“Putz! Onde o Brasil vai parar? Queimar a rosca agora é moda. Um apresentador de telejornal de qualidade média virou a bola da vez no jornalismo nacional só porque revelou que sua rosquinha está à disposição. A qualidade profissional que se f…” – disse em um tweet já apagado.

Já em um segundo tweet, Gama também fez referência a atual apresentadora do Jornal Hoje, Maju Coutinho.

“O Jair Bolsonaro está corretíssimo ao acabar com o registro na DRT e por acabar com a exigência de diploma para jornalistas. Afinal, tem uma fraquíssima em rede nacional só por causa da cor de pele e outro comunzão fazendo fama só porque avisou que queima a rosca” – disse em outro tweet também apagado.

A nota de repúdio do Sindicato foi publicada no Instagram.

View this post on Instagram

#Notaderepúdio #SindjorGoiás

A post shared by Jornalistas de Goiás (@jornalistasgo) on

Já o diretor da BandNews, Marcos Villas Boas disse ao vivo na rádio que Luiz Gama era contratado de uma empresa terceirizada pela Band, e foi solicitada a substituição imediata do radialista. Além disso, também foi enviada uma nota dizendo:

“A respeito das publicações do radialista Luiz Gama, no Twitter, esclarecemos que não interfere nas opiniões de seus colaboradores e/ou prestadores de serviço em redes sociais. A emissora reafirma seu compromisso com a defesa dos princípios democráticos, a construção de uma sociedade livre, justa e solidária, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação” 

Já a advogada de Ribeiro, Maria Thereza Alencastro, disse a Folha de São Paulo que entrará com um processo civil e criminal contra o radialista. A ação pedirá indenização por danos morais e crimes de racismo, no qual a homofobia é incluída pelo STF.

“Matheus, que tem visibilidade por seus próprios méritos – diga-se de passagem, tem esta obrigação. Não para se proteger, já que a ele estes comentários não prejudicam, mas para proteger todos que não têm voz como ele. Estas pessoas, as homofóbicas, precisam de resposta à altura” 

Evangélica, mãe de jornalista gay rebate comentário homofóbico: ‘O amo e aceito!’

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".

4 COMENTÁRIOS