GAY BLOG BR by SCRUFF

Um candidato a vereador na cidade de São Petersburgo, na Flórida, Estados Unidos, recebeu inúmeras mensagens dos internautas e fãs do ex-BBB Gil do Vigor pela semelhança entre ambos. Seu nome é Richie Floyd e ele se manifestou no Twitter, mudando seu nome para “Richie do Vigor”.

“Ok, então, o Twitter brasileiro decidiu que pareço um cara do Big Brother Brasil, e minhas menções explodiram”, escreveu Floyd. Em outra sequência de tuítes ele disse que iria dançar o famoso “tchaki tchaki”, do Gilberto.

Candidato dos EUA se aproveita da "semelhança" com Gil do Vigor e declara apoio ao Lula
Reprodução

“Tchaki tcha!”, escreveu o candidato. “Espero que esteja certo”, completou, acrescentando também para os brasileiros votarem no Lula em uma próxima eleição, “ele é uma inspiração”.

Já a comparação se dá pela foto de perfil do Floyd no Twitter, em que ele veste uma camisa social rosa, se assemelhando muito a uma imagem de divulgação de Gilberto.

Após episódio homofóbico com Gil, jogadores comemoram gol com dancinha “tchaki tchaki”

Na última sexta-feira, 14, um áudio do conselheiro do time de futebol Sport Club do Recife, Flávio Koury, viralizou nas redes sociais por fazer comentários homofóbicos ao ex-BBB Gil do Vigor, que esteve no estádio fazendo a célebre dancinha “tchaki tchaki”. A dança se resume a um simples agachamento e movimento dos braços verticalmente frente ao tórax.

“Se ele tivesse feito essa dancinha na casa dele ou no bordel, ou onde ele quisesse, eu não estava nem aí. Mas foi dentro da Ilha do Retiro, né rapaz. Isso é uma desmoralização. Isso é ausência de vergonha na cara. É isso que a gente está vivendo. Esses tempos novos, é isso. Não tem mais respeito. Filho não respeita pai, pai não respeita filho, não respeita irmão. Não tem amigo. É a depravação”, disse Koury.

A torcida do Sport se revoltou com Koury e o ex-BBB lamentou o caso em publicação no Twitter: “Primeiro ataque homofóbico que me deparo após o BBB e posso garantir, ainda machuca MUITO! Mas sigo firme e providências serão tomadas. Tirando o dia off para não perder minha alegria por tudo que venho vivendo…… É muita dor!”, escreveu.

Nas redes sociais, o Sport defendeu o economista e afirmou que está, juntamente ao Conselho Deliberativo, tomando providências: “Sport é Do Vigor e contra a homofobia. Hoje, vamos perfilar de manto marcado com alguém que nos dá muito orgulho: @gilnogueiraofc! As camisas serão vendidas e todo o dinheiro arrecadado será doado ao Instituto Boa Vista, ONG de pautas LGBT”, disse o time pelo microblog.

Em partida, que teve início às 16h deste domingo, o Sport colocou o time em campo com todos os jogadores usando a camisa com seus respectivos nomes acrescentados de “do Vigor”. O time abriu o placar sobre o Náutico, aos 35 minutos, e o atacante Everaldo correu para a comemoração e dançou o “tchaki tchaki” ao lado de Tréllez e Neílton. O jogo teve empate e o duelo acabou em 1 x 1.

Assista à comemoração:

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"