Atos homofóbicos ou transfóbicos na Suíça agora resultam em prisão

Espera-se que o governo e o parlamento suíço abordem a questão do casamento gay nos próximos anos.

A Suíça votou a imposição das penas mais rigorosas para trans e homofobia, colocando-as no mesmo nível do racismo. Aqueles considerados culpados poderão enfrentar até três anos de prisão

suíça
Foto: Arosa

O Conselho Nacional da Suíça votou de 118 a 60 para mudar seu código penal, tornando ilegal discriminar com base na identidade de gênero ou orientação sexual.

“Vitória!”, disse Mathias Reynard, conselheiro nacional que luta há mais de meia década com a lei. “Por 118 contra 60 e 5 abstenções, o Conselho Nacional aceita minha iniciativa parlamentar contra a homofobia e transfobia! Um grande sucesso para os direitos humanos!”, comemora.

Foto: Arosa

O casamento gay ainda não está previsto em lei no país, o que significa que os casais do mesmo sexo não têm legitimidade para adoção e demais benefícios. Esta mudança agora na constituição abre as portas para uma pressão pelos direitos do casamento no país.

Casais homoafetivos podem reconhecer sua união civil oficialmente na Suíça desde 2007, mas muitos gays esperam que seja oficializado como forma de acabar com o estigma que envolve as relações registradas.

Espera-se que o governo e o parlamento suíço abordem a questão do casamento gay nos próximos anos. Entretanto, após a onda inicial de interesse quando a lei entrou em vigor, o número de uniões civis homossexuais permanece estável, com média de 700 por ano, segundo a estatística da Secretaria Federal da Suíça.

suíça gay
Foto: Arosa

Com infos de LGBTQnation e swissinfo.ch

1 COMENTÁRIO

Comente