GAY BLOG BR by SCRUFF

A Nielsen, empresa global em medição de audiência, dados e análises, apresenta neste mês dados inéditos da pesquisaComunidade LGBT+: o que está em foco?”. Em sua segunda edição, o estudo tem objetivo de estimular a diversidade, apontando a situação atual e próximos passos rumo à inclusão, além de revelar hábitos de consumo de mídia da comunidade e da população em geral. Por meio de insights, o estudo retrata as tendências deste grupo em diversas frentes, o que permite orientar as estratégias de mercado das empresas e influenciadores no sentido de fomentar uma sociedade mais inclusiva e representativa.

“O nível de confiança no futuro da comunidade não ser alto é emblemático. Precisamos fugir de campanhas pontuais, pois a inclusão acontecerá de verdade quando as empresas distribuírem este tema em todos os dias do ano e em todas as áreas, não apenas na parte criativa de como uma marca se comunica com a audiência”, contextualiza Sabrina Balhes, Líder de Measurement da Nielsen Brasil.

Mensagem transmitida pela publicidade é mais relevante que o produto, diz estudo sobre a comunidade LGBT+
Mensagem transmitida pela publicidade é mais relevante que o produto, diz estudo sobre a comunidade LGBT+

Realizado entre os dias 3 de fevereiro e 10 de abril deste ano, com uso de questionário online para 602 pessoas de todo o país, sendo 50% dos entrevistados membros da comunidade LGBT+, o levantamento analisou influenciadores, serviços de streaming, redes sociais, mídia, entre outros segmentos. Além disso, a pesquisa divulgou os comportamentos de consumo, presença no ambiente online e opinião sobre representatividade em propagandas, fazendo um comparativo entre a comunidade e a população em geral.

Para Nate Cavalcanti, editor de Diversidade, Equidade e Inclusão e líder do grupo de Pride da Nielsen Brasil, a comunidade LGBT+ deve ser lembrada e respeitada ao longo de todo o ano. “Para nos sentirmos representados, é necessário mais do que uma propaganda no mês de junho. Precisamos de ação estrutural e representatividade que realmente tenha um impacto social positivo para as pessoas da comunidade. Queremos ter empregos, oportunidades e que nossas identidades sejam respeitadas no local de trabalho.”

Confira abaixo os destaques da nova leva de dados inéditos da pesquisa:

Influenciadores são vistos como a principal conexão da comunidade com marcas

O fenômeno do mercado de influência, que vem ganhando mais força, é ainda mais presente na comunidade LGBT+. Seus membros passam em média 3 horas por semana acompanhando influenciadores e 82% consideram que a opinião deles gera impacto para marcas e produtos. A atuação dos influencers também foi mencionada como o tipo de publicidade mais inclusiva, com 33% da preferência. Segundo o levantamento, o diferencial dos influenciadores é o compromisso social e a plataforma para começar a conexão com eles é o Instagram.

Plataformas de streaming são percebidas como as mais diversas e inclusivas

Os serviços de streaming são considerados o tipo de mídia mais inclusivo e diverso, com um recente aumento no número de conteúdos direcionados para comunidade LGBT+. Filmes assistidos em streaming foram apontados como muito inclusivos para 40%, enquanto 14% pensam o contrário. Este grupo consome, em média, 10 horas por semana destes conteúdos, revelando o alto consumo da comunidade por estes serviços. Apesar dos avanços na inclusão, a base de dados da Nielsen mostra que apenas mil entre 817 mil títulos possuem temas relacionados à comunidade.

Pessoas não binárias e transgêneros consideram-se as menos presentes em publicidade

Pessoas transgênero e não binárias são as identidades se sentem as menos incluídas em publicidade e conteúdo veiculado em diferentes mídias (TV, plataforma de streaming, rádio), sendo que 50% avalia a publicidade como nada inclusiva para as pessoas transgênero e 52% para não binários. Em contraste, apenas 15% da comunidade pensa o oposto. Além disso, 53% da população em geral não se comove com a forma com que o público LGBT+ é abordado nos anúncios.

Comunidade acredita que a mensagem transmitida pela publicidade é mais relevante que o produto

A falta de inclusão em publicidade de marcas leva a comunidade a se apegar menos ao produto e mais à mensagem. De acordo com o levantamento, os consumidores acreditam três vezes mais que a população em geral nesta premissa (22% contra 7%). Enquanto 64% da população em geral acha que o produto e a mensagem foram relevantes, apenas 49% do público LGBT+ pensa da mesma forma. Os dados expõem também que 50% dos entrevistados da comunidade estão incertos sobre serem inseridos no futuro em propagandas e conteúdos de marca, apesar de 61% terem respondido que se sentem um pouco mais incluídos.

Acesse a pesquisa na íntegra para conferir estes e outros dados.




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.