A Nintendo americana incluiu personagens LGBT+ e não-binários na versão ocidental de Animal Crossing: New Horizons. Na customização, por exemplo, foi removida a classificação binária de se o seu personagem é menino ou menina, e o jogador pode escolher qualquer roupa do vestuário para fazê-lo.

Além disso, o membro de uma ilha, CJ, que faz diversas referências ao seu namorado Flick, enquanto a gatinha Merry conta sobre uma história que ela leu de duas princesas.

Foto: Reprodução
CJ fazendo uma referência ao "parceiro" dele (Foto: Reprodução)
CJ fazendo uma referência ao “parceiro” dele (Foto: Reprodução)

No entanto, essas adaptações foram feitas para a versão ocidental do Animal Crossing: New Horizons. Em seu lançamento original, no Japão, os diálogos dos personagens não fazem nenhum tipo de referência. O único ponto que ambas as versões compartilham é da customização de personagens.

PERSONAGENS LGBTS NOS GAMES

Life is Strange: Before the Storm conta a história de Chloe e Rachel (Foto: Reprodução)
Life is Strange: Before the Storm conta a história de Chloe e Rachel (Foto: Reprodução)

Segundo uma matéria publicada na Gaming Bus, os personagens LGBTs nos games surgiram nos anos 80 e, assim como acontecia nas outras mídias, na maioria das vezes eram retratados de maneira estereotipada e cômica, feitos para serem ridicularizados.

Já o primeiro game que retratou de modo mais natural a relação entre duas mulheres foi Moonmist, de 1986, lançado para PC. Neste, dependendo das escolhas do jogador, a personagem Vivien podia se relacionar com a Deirdre.

De lá pra cá houve muitos personagens LGBTs, apesar de na maioria dos casos não serem pautas principais dentro dos games. Um dos destaques vai para o jogo Final Fantasy V com a personagem Faris, que nasceu mulher, mas gosta de ser chamada de “ele” e se veste com roupas masculinas, sendo um típico caso de homem transexual.

Também há a Poison, de Final Fight, que é uma mulher trans, sendo bastante sexualizada e, infelizmente, motivo de chacota por boa parte da comunidade gamer.

Mais recentemente, o jogo Life is Strange explora a vida de duas meninas lésbicas, tendo um dos desfechos mais emocionantes dos games segundo muitos jogadores.

9 games com a temática LGBTQ+ que você precisa jogar 🎮

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".