Sobrinho-neto de Silas Malafaia precisou ir a um ‘terapeuta evangélico’ para tentar a ‘cura gay’

Rodrigo Westermann Malafaia, 29 anos, sobrinho-neto do pastor Silas Malafaia, concedeu uma entrevista ao jornal Extra dando mais detalhes

O modelo Rodrigo Westermann Malafaia, 29 anos, sobrinho-neto do pastor Silas Malafaia, concedeu uma entrevista ao jornal Extra dando mais detalhes sobre como é sua relação com a família evangélica. Segundo ele, desde a adolescência a relação com seus familiares não é “das melhores”

“Frequentei igreja a vida inteira. Quando descobriram que sou gay, foi um terror psicológico. Me levaram a um terapeuta evangélico. Prometi que iria mudar. Não havia saída, eu tinha só 15 anos. Não tinha autonomia. Precisava obedecer ou ficaria de castigo. Arrumava até namorada de mentira. Só assumi realmente aos 20 porque não aguentava mais. Falei ‘ou vocês têm um filho gay, ou não têm mais um filho’. Aceitaram, mas com algumas ressalvas” – disse.

Apesar dos pesares, Rodrigo afirma que tenta manter uma boa relação com seus familiares, mesmo sendo algo “complicado”.

“É bem complicado eu manter uma amizade com eles porque não aceitam nada que eu faço. Independentemente de caráter, para eles, eu e Leandro somos muito errados em tudo. Vivo minha vida, tenho meus sonhos e pago minhas contas. Não preciso provar nada para ninguém, mas parece que eu sempre tenho um saldo negativo por causa da religião”, conta.

CASAMENTO MARCADO E SEM A FAMÍLIA

Rodrigo e Leandro Buenno

Em outra entrevista concedida previamente também ao Extra, Rodrigo comenta que irá se casar com o ex-The Voice Brasil, Leandro Buenno, em março de 2020 em uma fazenda.

Não irei convidar a família” – diz – “Não quero alguém que não entenda que estarei casando com o homem da minha vida. Eu e Lê temos nossa fé, acreditamos em Deus, mas não queremos festejar nosso amor baseado em regras”

Por fim, o modelo saiu do armário em setembro através da rede social Instagram, fazendo duras críticas a vida que ele mesmo levava em relação a igreja.

“Um Deus (longe do Deus que vocês pregam) me tirou dessa vida hipócrita, mentirosa e cheia de preconceito e ódio. E acreditem esse meio evangélico é muito pesado, não é só o mundo como é pregado. Eu sozinho me forcei a parar de achar todo mundo errado, menos, endemoniado, ou qualquer coisa do tipo”.