Popular monarca dos anos 80, a rainha Xuxa Meneguel retomou suas atividades de 1988 e reafirmou seu posicionamento contra o Baixo Astral. Pintando um arco-íris de energia, a apresentadora postou em seu Instagram um vídeo antigo onde festeja uma torcida pelo Brasil acompanhada da hashtag #Somos70porcento. A hashtag se refere ao resultado recém-divulgado pelo Instituto Datafolha, onde aponta que 70% dos brasileiros rejeitam a aproximação de Bolsonaro ao Centrão; 70% acham Bolsonaro Péssimo/Ruim/Regular; 70% apoiam medidas de isolamento e que mais de 70% sabem que a terra é redonda.

View this post on Instagram

#Somos70porcento 🇧🇷

A post shared by Xuxa Meneghel (@xuxamenegheloficial) on

Super Xuxa contra o Baixo Astral

Produzido em 1988, pela Dreamvision, o longa-metragem “Super Xuxa Contra o Baixo Astral” foi a primeira produção da parceria entre o produtor Diler Trindade e Xuxa, que depois fizeram juntos filmes como Lua de Cristal (5 milhões de espectadores em 1990). O filme teve distribuição nos cinemas pela Luís Severiano Ribeiro e Columbia Pictures, sendo lançado com 93 cópias no dia 30 de junho de 1988.

No enredo, Xuxa convoca as crianças para colorirem muros pichados na cidade. Enquanto isso, Baixo Astral, um ser demoníaco mal-humorado que vive nos esgotos da cidade, decide se vingar de Xuxa sequestrando seu cachorro, Xuxo. Ela então sai em busca de Xuxo, indo parar em uma dimensão paralela conhecida como Alto Astral.

Outros personagens do filme são: Rafa, um garoto que também é sequestrado por Baixo Astral, que planeja torná-lo seu capanga; Titica e Morcegão, os capangas de Baixo Astral, que têm ciúmes da atenção que Rafa recebe de seu “patrão”; Xixa, uma lagarta cigana e preguiçosa que ajuda Xuxa em sua viagem (e, eventualmente, sofre uma metamorfose e se transforma em borboleta); e a Vovó Cascadura, uma cágada especialista em literatura.

Google Notícias