Neste ano, em que o Mês do Orgulho será comemorado virtualmente por conta do coronavírus, a Netflix achou uma forma de levar a representatividade LGBTQ+ às ruas, mesmo com todos dentro de casa.

Projeções de vídeos exibirão séries e personagens icônicos LGBTQ+ da Netflix tomando a rua e do circuito oficial da Parada LGBTQ+ (Avenida Paulista  e Consolação) junto com tweets reais de pessoas da comunidade contando como essas histórias de orgulho os inspiraram.

No dia 14, domingo, dia em que o desfile aconteceria, a Netflix anunciará a hashtag para que usuários possam participar da ativação de projeção.

Netflix
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Orange is The New Black, Atypical
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação
Foto: divulgação

81% dos brasileiros héteros que assinam Netflix assistem séries com personagens LGBT+

Uma nova pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 10, pela Netflix e pela GLAAD no Brasil, constatou que alguns dos programas favoritos das pessoas estão ajudando a criar empatia entre os espectadores. Cerca de 81% dos brasileiros que não se identificam como LGBTQ+ disseram que séries como Elite e Sex Education – e personagens como Casey de Atypical e Robin de Stranger Things – ajudaram a melhorar o relacionamento com pessoas LGBTQ+ em suas próprias vidas.

81% de brasileiros héteros assistem séries LGBT+, aponta Netflix
Fonte: GLAAD/Netflix

“Dada toda a polarização do mundo hoje, a representação nas telas importa mais do que nunca. A Netflix e os criadores de todo o mundo têm a oportunidade de aumentar a aceitação da comunidade LGBTQ+ por meio do entretenimento”, disse Monica Trasandes, diretora de mídia latina e representação em língua espanhola da GLAAD. “Séries como Sex Education e Elite não são apenas grandes histórias, elas permitem que mais pessoas vejam suas vidas na tela – aumentando a empatia e a compreensão. Os dados comprovam: mais representatividade acelera a aceitação”.

A maioria dos participantes LGBTQ+ sente que o entretenimento reflete sua comunidade com mais precisão agora do que há dois anos. No entanto, ainda existem algumas áreas importantes a serem aprimoradas em contar histórias queer significativas, incluindo narrativas com pais e famílias LGBTQ+, maior diversidade racial e situações que abordem a imagem corporal e os relacionamentos LGBTQ+ com familiares e amigos. Isso é particularmente importante, pois 85% dos participantes da comunidade LGBTQ+ disseram que o entretenimento ajudou suas famílias a entendê-los melhor.

Arco-íris gigante vai iluminar a Av. Paulista no domingo que ocorreria a parada LGBT+

Google Notícias