GAY BLOG BR by SCRUFF

Na última terça-feira (28), Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, o programa “Profissão Repórter”, da Rede Globo,  mostrou o caminho trilhado por brasileiros em busca de respeito e de seus direitos. 

Uma das personagens, Camille Cabral, nasceu em Barra do São Miguel, na Paraíba, e vive em Paris há 42 anos. Franco-brasileira, ela, que atualmente está com 78 anos, foi a primeira mulher trans eleita vereadora da história da França.

(Foto: Reprodução)

Médica dermatologista e especialista em métodos contraceptivos, Camile também fundou a PASTT, instituição que defende os direitos da comunidade LGBTQIA+ na França. Desde que iniciou a transição, ela nunca voltou para a terra natal como mulher trans.

Eu comprava peruca de homem, ficava ridícula, mas eu ia ver meus pais como homem. Ser transexual não é um desrespeito, mas minha mãe era de uma geração que não sabe o que é transexualidade”, revelou Camile.

Só após a morte dos pais, Camile resolveu visitar  Barra de São Miguel como de fato é. “Ser transexual não é um desrespeito. Mas, minha mãe era de uma geração que não sabe o que é transexualidade. Hoje, volto mulheríssima para o Brasil”, festeja.

Camille Cabral (Foto: Profissão Repórter)

Trajetória de Camille Cabral

No anos 1970, Camille Cabral passou no vestibular para Ciências Médicas, que cursou em uma faculdade privada de Recife (PE). Com o diploma na mão, ela foi para São Paulo, onde fez estágio no Hospital das Clínicas. Já na capital paulista, decidiu vestir pela primeira vez roupas ditas feminans, após seus expedientes como médico.

Em 1980, foi para França e fez um estágio em dermatologia, àrea que acabou se especializando. Na época, algumas pessoas a chamavam de monsieur (senhor), outros de madame (senhora), conforme revelado em entrevista. Radicada na França e com dupla cidadania, ela ficou um longo tempo sem ver sua família.

Camille foi a primeira transexual eleita vereadora na história da França. Seu mandato, de 2001 a 2005 foi pelo 17º arrondissement de Paris. A ativista é protagonista do documentário “Madame”, uma produção da Globo Filme, lançado em 2019.

Camille em “Madame” (Foto: Reprodução)



Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista gaúcho formado na Universidade Franciscana (UFN) e Especialista em Estudos de Gênero pela Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)