GAY BLOG BR by SCRUFF

This article is also available in: Español

Em março, como incentivo ao isolamento social, o SCRUFF realizou em território brasileiro o Curta Woofs, seu primeiro festival de cinema gratuito dentro do próprio aplicativo. Com curadoria de André Fischer, fundador do Festival Mix Brasil, oito curtas-metragens nacionais foram disponibilizados para todos os usuários e somaram mais de 50 mil visualizações.

“Muitos dos festivais que disponibilizam acesso gratuito aos filmes trabalham com um limite de 2.000 exibições para cada obra – e boa parte não chegam a esse número. 50 mil telespectadores para 8 curtas, uma média de 6.250 por curta, é um sucesso”, comemorou Fischer.

Frame de "La Disyuntiva", de Antonio Zucherino - Divulgação pequeños woofs
Frame de “La Disyuntiva”, de Antonio Zucherino – Divulgação

A mostra agora ganha sua versão em espanhol a partir da próxima quinta-feira, 15, para atender os países de língua espanhola da América Latina. Sob o nome de “Pequeños Woofs”, oito curtas-metragens LGBTs produzidos pelos países vizinhos entram no line-up: “Albina”, “Batería”, “Emilia”, “En Color”, “La Disyuntiva”, “Línea 9”, “Primavera” e “Thara”. A edição latina conta com curadoria do Festival CUÓRUM Morelia.

Frame de "En Color", de James Lucas - Reprodução
Frame de “En Color”, de James Lucas – Reprodução

Os curtas selecionados denotam o fascínio pela preocupação de cineastas queer para reinventar a representação e capturar a multiplicidade de experiências da comunidade em suas paixões fugazes, amor não correspondido e sua necessidade de liberdade. Por um lado, um olhar curioso sobre a intimidade gay reconhecível na América Latina através do cruzeiro: do metrô da Cidade do México (“Linha 9”), às ruínas de uma fortaleza militar em Havana, Cuba (“Bateria”) ou no meio da natureza de algum lugar argentino (“La Disyuntiva”). E, por outro lado, curtas-metragens que nos transportam para o melodrama que nos caracteriza e que nos fazem sentir a tensão sexual que surge quando não somos retribuídos pela nossa paixão (“In Color”, “Primavera”). Histórias que mostram mulheres cis e trans em constante movimento, por meio de quem trabalha com o corpo (“Albina”), desvela as aparências (“Emília”) e luta por sua identidade (“Thara”). Uma seleção de curtas-metragens que revela uma comunidade intensamente diversa e em constante mudança.

FILMES

“ALBINA” (2017), de Domingo Pablo Ortíz – México – 6′

Um carro se move lentamente e procura uma pessoa da noite em um vestido justo pronto para encher o corpo do outro de prazer. Quem dirige este carro? Por que ele para na frente dela?

“BATERIA” (2016), de Damián Sainz – Cuba – 15′

As ruínas de uma antiga fortaleza militar em Havana se tornaram um local clandestino para o cruzeiro gay, assim como uma cultura de resistência e socialização.

“EN COLOR” (2019), de James Lucas – México – 15′

Este é um curta-metragem musical que revela a cumplicidade de um amor, o peso dos segredos, e também as diferentes etapas da paixão, bem como a difícil aprendizagem do desapego.

“EMILIA” (2019), de Diego Lomelín – México – 14′

Emilia chega no aniversário da amiga Ana e, enquanto se sente desconfortável com os convidados. A sua curiosidade a fará descobrir um segredo que esta família “perfeita” guarda.

“LA DISYUNTIVA” (2017), de Antonio Zucherino – Argentina – 13′

Dois homens caminham por uma estrada de terra, em meio a grandes ervas daninhas e árvores. Um segue o outro: ambos inspecionam o local. Depois de um tempo, eles param no meio da folhagem.

“LÍNEA 9” (2016), de Tavo Ruiz – México – 16′

Numa cidade onde o movimento é sempre contínuo como as viagens do metrô, os caminhos de Andrés e Miguel se cruzam. Tudo parece indicar que se trata do início de um novo romance, mas Andrés não sabe que rumo tomar.

“PRIMAVERA” (2018), de Rafael Ruíz Espejo – México – 14′

Fernando sente-se atraído pelo seu melhor amigo. Juntos, eles escapam da escola para acampar na floresta.

“THARA” (2018), de Paco Ramírez – México-Honduras – 14′

Thara é uma mulher trans e trabalhadora do sexo que vive em Honduras. Apesar do preconceito e da violência, ela arrisca tudo para ser ela mesma, mesmo diante dos perigos que se escondem na noite.

Os filmes, que podem ser acessados gratuitamente através da aba “Eventos” no app SCRUFF, estão disponíveis durante 30 dias nos países latinos de língua espanhola. SCRUFF está disponível na App Store e Google Play.

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.