GAY BLOG BR by SCRUFF

Instituição vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, o Museu da Diversidade Sexual – MDS conta com uma programação online em comemoração ao Dia Nacional da Visibilidade Trans (29/01), data significativa para a luta da comunidade LGBTQIA+, marcada pela caminhada de mulheres transexuais, travestis e homens trans em direção ao Congresso Nacional, em 2004, para o lançamento da campanha Travesti e Respeito. O evento, promovido pelo Ministério da Saúde, foi reconhecido como a primeira campanha nacional idealizada e organizada por pessoas trans.

Para comemorar esse mês, a programação virtual do Museu da Diversidade Sexual oferece lives e rodas de conversas com transmissão pelas suas redes sociais e plataforma Cultura em Casa, criada pela Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo e gerida pela Amigos da Arte.

Programação

Dia 15 de janeiro, sexta-feira, às 17h30

Archivo de la memória trans

Live com a ativista Maria Belen sobre a criação e atuação do Archivo de la memoria trans – um acervo situado na Argentina e fundado por Maria que cumpre o papel de proteção, construção e reivindicação da Memória Trans por meio de fotos, vídeos e recortes diários de pessoas que pertencem à comunidade. Essa live integra o projeto Laboratório de Memórias, do Acervo Bajubá (Casa 1) e teve apoio do Museu da Diversidade Sexual.

Maria Belén Correia é ativista Trans, nascida na Argentina. Exilada em 2001 em Nova Iorque pelo seu ativismo, adquiriu o status de exilada política em 2004 e hoje vive na Alemanha. Maria Belén fundou em 1993, junto com diversas ativistas Trans, a Associação de Travestis da Argentina, a qual foi presidenta entre 1995 e 2001. Durante seu exílio em Nova Iorque participou da REDELACTRANS (Rede Latino Americana e Caribenha de Pessoas Trans), em 2004. Em 2012 criou o Archivo de la Memoria Trans na Argentina, com a intenção de recuperar e conservar a memória e história das pessoas trans de seu país.

Dia 29 de janeiro, sexta-feira, 17h30

Representatividade e Cultura Trans

Marcada para o Dia da Visibilidade Trans, essa live conta com a participação com lideranças da Aliança Nacional LGBTI+, da ANTRA (Associação Nacional de Travestis e Transexuais) e também com artistas e figuras públicas, como Léo Moreira e Renata Perón, que abordaram a importância da representatividade trans nos espaços da sociedade.

Redes Sociais

https://www.facebook.com/museudadiversidadeoficial/
https://www.instagram.com/museudadiversidadesexual
https://twitter.com/mus_diversidade/

Museu da Diversidade Sexual (MDS)

Estação República do Metrô, n° 24. R. do Arouche – República. São Paulo (SP).

O museu está localizado dentro da Estação República do Metrô, atrás da bilheteria. Piso Mezanino, loja 518.

Sobre o Museu da Diversidade Sexual

Primeiro equipamento cultural da América Latina relacionado à temática, o Museu da Diversidade Sexual foi criado em maio de 2012 e é uma instituição vinculada à Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo. Sua missão é preservar o patrimônio sócio, político e cultural da comunidade LGBTQIA+ brasileira através da coleta, organização e disponibilização pública de referenciais materiais e imateriais. As atividades culturais, educativas e expositivas do MDS têm foco nas orientações, identidades e expressões de gênero dissidentes.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.