‘Bug Chaser – Coração Purpurinado’ abre a mostra de espetáculos na semana da Parada SP

A peça aborda temas como barebacking e bugchasing (quando um homem saudável procura ter relações sexuais outro homem HIV positivo para ser infectado)

Montado pela Cia Artera, a peça ‘Bug Chaser – Coração Purpurinado’ faz uma relação entre o risco e prazer com a prática do barebacking (sexo sem preservativo) e bugchasing (quando um homem saudável procura, deliberadamente, ter relações sexuais outro homem HIV positivo para ser infectado).

O espetáculo foi mencionado como um dos mais significativos do ano de 2017 pela Academia de Críticos da Bravo. A peça já esteve em temporada em São Paulo, mas esta edição de junho sera a única e última apresentação na cidade.

A peça gira em torno de Mark (interpretado por Ricardo Corrêa – que também assina a dramaturgia). Mark está em uma quarentena sendo analisado por uma voz, um programa de inteligência artificial. Em fragmentos e saltos atemporais, a peça conta a saga desse homem, um advogado criminalista que busca se infectar propositalmente, uma subcultura pouco discutida na comunidade LGBT contemporânea. A direção é de Davi Reis.

Serviço:

Teatro Sérgio Cardoso
Sala Paschoal Carlos Magno
R. Rui Barbosa, 153 – Bela Vista, São Paulo – SP, 01326-010
18 de junho às 19h
Duração: 70 minutos
Classificação etária: 18 anos
R$ 20 | Ingresso rápido

Ficha Técnica:

Dramaturgia: Ricardo Corrêa. Direção: Davi Reis. Elenco: Ricardo Corrêa e Roberto Rezende. Vídeo design, Fotos e Programação visual: Alice Jardim. Figurino: Cy Teixeira. Iluminação: Fran Barros. Trilha sonora: Lucas Kaiser. Cenário: Cesar Resende de Santana (Basquiat). Preparação corporal: Felipe Alves. Operação de som e vídeo: Flavia Servidone e Viviane Barbosa. Operação de Luz: Lucas Barbosa. Produção: Ricardo Corrêa. Realização: Cia. Artera de Teatro.

Sobre Cia. Artera de Teatro

Com intuito de abarcar diversas dimensões da cena contemporânea, tem por meta a encenação de textos com dramaturgias inéditas, direcionando a pesquisa para temas relacionados às minorias, permitindo-se o intercâmbio com outras artes, manifestações e tecnologias. Em 2019, o grupo completa 17 anos de atividades ininterruptas, tendo realizado quinze produções, recebendo importantes prêmios.

Comente