Festival de Arte Contemporânea em BH traz espetáculo inspirado em Dandara

De 15 de janeiro a 11 de fevereiro, os belo-horizontinos vão acompanhar 27 atividades em 16 espaços culturais em BH no Verão Arte Contemporânea

Arquitetura, literatura, gastronomia, teatro, dança, música, artes visuais, cinema e reflexão política estão na programação 2020 do Verão Arte Contemporânea, o VAC. A 14ª edição vai reunir artistas locais e nacionais em 27 atividades, durante 28 dias, em 16 espaços culturais de Belo Horizonte.

Realizado e idealizado pelo Grupo Oficcina Multimédia (GOM), a edição 2020 do festival conta com a apresentação da Prefeitura de Belo Horizonte por meio da Secretaria Municipal de Cultura; patrocínio e apresentação do UniBH. O Verão Arte Contemporânea 2020 é realizado com recursos da Lei Municipal de Incentivo à Cultura de Belo Horizonte.

Ione de Medeiros, diretora artística do Verão Arte Contemporânea, conta que nesta edição de 2020 será ampliado o intercâmbio cultural com a França por meio do projeto “Portrait”, em colaboração com o Centre National de La Danse (CND).

“Vamos fazer uma mostra de filmes de coreógrafos europeus da atualidade, que liberaram os direitos autorais para exibição no VAC deste ano. Outros dois importantes coreógrafos franceses, também liberaram os direitos autorais de seus filmes, uma retrospectiva de Jérôme Bel e um documentário sobre as obras mais recentes de Maguy Marin. O público vai entrar em contato com obras de renomados coreógrafos que se destacam pelo caráter inovador e a coerência de suas obras, pautados na pesquisa da dança”, explica Ione.

Outro destaque deste ano é o lançamento do filme “O outro lado da memória” do diretor baiano André Luiz Oliveira. “A Perspectiva dedicada ao cineasta será marcada pelo lançamento do mais recente trabalho dele. Também haverá um bate-papo com a presença do André Luiz mediado pela escritora Lucia Castelo Branco. Mais do que contemplar o belo, é importante falar sobre e ampliar o aprendizado”, diz Jonnatha Horta Fortes, coordenador do Verão Arte Contemporânea.

Também novidade desta edição, o Verão Arte Contemporânea 2020 realiza pela primeira vez um projeto de residência artística em parceria com o 14º Festival de Verão UFMG e o Centro de Referência da Juventude (CRJ). Após oito encontros, a LAVA, mostra de resultados da residência de criação coreográfica com Thiago Granato, será apresentada no CRJ. O Palco Hip Hop mantém sua parceria com o Verão Arte, assim como a Feira Textura. Na área musical, serão lançados dois CDs autorais. Na gastronomia, além do Jantar Secreto, o Verão Arte Contemporânea 14 recebe o Almoço Secreto, descentralizando o projeto para o Centro Cultural Venda Nova. E, no teatro, destaque para a presença da linguagem cinematográfica integrada nas peças “Eclipse Solar” e “Tragédia”, além do espetáculo “Glauco” que propõe reflexões sobre a invisibilidade de pessoas com deficiência visual e LGBTQI+.

Ensaio banda Yonika BH
Ensaio banda Yonika

Abertura

A abertura do Verão Arte Contemporânea 2020 é uma das inovações da edição deste ano. Para marcar o início do Verão Arte Contemporânea 2020, o espaço A Central recebe a “Festa de Arromba” com os DJs Roger Dee e Eduardo Sô.

“Optamos por abrir o festival em clima de alegria e otimismo, promovendo uma noite de muita dança e música de qualidade para todas as tribos e idades”, explica Ione de Medeiros. A Abertura do Verão Arte Contemporânea em BH será no dia 15 de janeiro, quarta-feira, às 20h. A entrada custa R$ 10 e os ingressos serão comercializados na portaria d’ A Central. A classificação é livre.

Teatro

Na cidade dos exilados, pessoas expatriadas divagam sobre política, humanismo, tragédias pessoais, anseios, rancores, desejo de liberdade, enquanto esperam um acontecimento extraordinário: o eclipse total do sol. Essa é a história que será apresentada pela Quartatela no espetáculo “Eclipse Solar” de 16 a 19 de janeiro, quinta a sábado às 20h e domingo, às 19h, no Teatro Marília. A peça mescla teatro, cinema e música. A classificação é 16 anos. Ingressos a R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

Quartatela - Eclipse Solar - Cred. Fabiana Loyola
Quartatela – Eclipse Solar – Foto: Fabiana Loyola

De 23 a 26 de janeiro, a Pigmentar Companhia apresenta “Glauco” no Teatro Marília, em BH. Quinta a sábado, às 20h. Domingo, às 19h. O espetáculo conta a história de uma pessoa deficiente visual que entra em um estabelecimento e seu jeito chama a atenção de um jovem negro que trabalha neste espaço. Entre um jogo de corpos e toques, uma relação se constrói, revelando seus conflitos e desejos. Classificação 16 anos. Ingressos R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia).

A Cia Luna Lunera apresenta o espetáculo “E ainda assim se levantar” de 24 a 26 de janeiro, sexta a domingo, às 20h, no Teatro Minas Tênis Clube (BH). Com classificação de 16 anos, os ingressos serão vendidos por R$ 30 (inteira) e R$ 15 (meia). A peça questiona como encontrar forçar para seguir em frente, como manter a esperança e o desejo com todas as ameaças do futuro, como ainda ajudar e ouvir o outro quando se está prestes a cair, como continuar quando nossos corpos não aguentam mais e como ainda acreditar quando o discurso de ódio nos cerca.

Cia Luna Lunera - E ainda assim se levntar - Cred. Carlos Hauck (1)
Cia Luna Lunera – E ainda assim se levntar – Foto: Carlos Hauck

Já o Grupo Quatroloscinco Teatro do Comum se apresenta de 06 a 09 de fevereiro, quinta a domingo, às 19h, na Funarte MG, com “Tragédia”. O espetáculo mostra que há jogos que se popularizaram pelo mundo, ultrapassam os limites dos palácios, escorrem como sangue, inundam as ruas e entram pela fresta da porta de nossas casas. Jogos com regras rígidas e penalidade severas. Jogos que atravessam milênios e pelos quais se mata e se morre. Todo jogo é um campo de batalha.

Música

A Sala Juvenal Dias, no Palácio das Artes, recebe “Entremeios” do Grupo de Estudos em Música Contemporânea da UFOP, nos dias 22 e 23 de janeiro, quarta e quinta, às 19h. O Grupo é um projeto de extensão da UFOP que reúne professores, alunos, ex-alunos e colaboradores. Além da pesquisa em torno de questões da música contemporânea e experimental, o grupo incorpora a cena, a poesia, o vídeo e outras linguagens artísticas desde a concepção dos projetos. Os ingressos custam 30,00 (inteira) e 15,00 (meia). A classificação é livre.

Heberte Almeida - 04 - Foto por Heberte Almeida
Heberte Almeida – Foto: divulgação

Em seu primeiro trabalho solo, o músico Heberte Almeida compila suas variadas referências musicais em “Negro Amor”. O projeto evidencia corpos negros em narrativas de afeto, afirmação e resistência. O músico traz sem seu trabalho referências musicais como o samba soul, afoxé, axé, rap, soul, samba e arrocha em uma coleção de onze canções, apresentando uma sonoridade solar, diversa em timbres, vozes e bases rítmicas. O lançamento do CD será no dia 25 de janeiro, sábado, às 19h, no Teatro Francisco Nunes. Os ingressos têm preços diferenciados e custam 10,00 (inteira) e  5,00 (meia). A classificação é livre.

Ensaio banda Yonika
Ensaio banda Yonika

No dia 26 de janeiro, domingo, às 19h, o Teatro Francisco Nunes recebe Yônika, projeto que reúne oito artistas em torna da linguagem de improvisação musical com senhas. Os elementos da bagagem criativa de cada musicista trazem os ritmos afro latinos em fusão com universo da música eletrônica. Música do acaso, essência do tambor e beat mântrico sintetizado com a premissa de fazer o público dançar. Classificação livre e ingressos a 30,00 (inteira) e 15,00 (meia).

Davi Fonseca - Piramba - Cred. Ciro Thielmann (1)
Davi Fonseca – Piramba – Foto: Ciro Thielmann

O músico Davi Fonseca lança seu primeiro CD, Piramba. O show de lançamento será no Teatro Sesiminas no dia 05 de fevereiro, quarta-feira, às 20h. O disco conta com o seu sexteto e participações especiais de Mônica Salmaso, Rafael Martini e Felipe Vilas Boas, mesclando canção e música instrumental. O sexteto é formado por Alexandre Andrés, Alexandre Silva, Camila Rocha, Natália Mitre, Yuri Vellasco e Davi Fonseca. Os ingressos serão vendidos por 30,00 (inteira) e 15,00 (meia). A classificação é livre.

, a mais recente parceria entre os músicos André Mehmari, Alexandre Andrés e Bernardo Maranhão, será apresentada no dia 06 de fevereiro, quinta-feira, às 20h, no Teatro Sesiminas. Nas 16 faixas do álbum, todas autorais, Mehmari agrega ao seu piano virtuoso uma gama de instrumentos, que vão da rabeca ao koto japonês. Alexandre Andrés responde pelas flautas, vocais e violão. Bernardo Maranhão, além dos vocais, assina as letras do CD. Os ingressos custam 30,00 (inteira) e 15,00 (meia). A classificação é livre.

O Circuito Contemporâneo do Conservatório da UFMG apresenta o Música Eletroacústica no dia 06 de fevereiro, quinta-feira em duas sessões, uma às 19h30 e a outra às 20h30. O circuito contemporâneo convida o público a vivenciar o universo da música eletroascústica. Explorando um sistema de som multicanal, o concerto permite uma escuta diferenciada, com uma imersão no som. Serão apresentadas quatro obras: duas acusmáticas, uma obra mista (com a participação de um instrumentista tocando ao vivo) e uma obra com vídeo. A entrada é franca e os convites devem ser retirados no dia do evento a partir das 17h.

O Trivial Trio apresenta o Música Instrumental Brasileira no Conservatório UFMG. O show será no dia 07 de fevereiro, sexta-feira, às 20h, com ingressos a 30,00 (inteira) e 15,00 (meia) e com classificação livre. O trabalho do Trivial é inspirado nas principais referências da MPB e da música instrumental brasileira bem como de suas influências, favorecendo a construção de um show que dialoga com diversos universos musicais, entre eles o samba, a bossa nova, o baião, a música latina e o jazz.

Dandara Para todas as mulheres – Bia Nogueira – |Foto: Bartira Duarte

O Grupo dos Dez apresenta o espetáculo cênico-musical “Dandara Para Todas a Mulheres” de 30 de janeiro a 02 de fevereiro, quinta a domingo às 19h, na Funarte MG. Dandara surge para trazer a reflexão sobre o ser mulher negra. Se em Madame Satã o grupo parte de uma figura lendária do Rio para falar sobre homofobia e racismo, nesse novo espetáculo o Grupo dos Dez evoca a figura quase mítica de Dandara para trazer a discussão sobre machismo, racismo e a resistência da mulher negra contemporânea. Entrada franca e classificação livre.

Still do filme Espero tua (Re) volta - Eliza Capai BH
Still do filme Espero tua (Re) volta – Eliza Capai

M.A.R.P

O Movimento de Arte e Reflexão Política, M.A.R.P, será realizado no dia 04 de fevereiro, terça-feira, às 19h, no Cine Sesc Palladium. A proposta do M.A.R.P é refletir sobre inquietações relacionadas à arte e à cultura na atualidade. Neste ano, será exibido o documentário “Espero Tua (Re)volta”, de Eliza Capai, que apresenta um retrato do movimento estudantil que ganhou força a partir de 2015, ocupando escolas estaduais por todo o Brasil. O documentário tenta compreender as ocupações e as principais pautas a partir do ponto de vista dos estudantes envolvidos. Após a exibição do documentário haverá um bate-papo com convidados e mediação da socióloga Nilcéa Moraleida. A entrada é gratuita e a classificação é 14 anos.

Gastronomia

O Verão Arte apresenta uma novidade este ano, além do famoso e disputado Jantar Secreto, a edição 2020 terá também o Almoço Secreto. Ambos produzidos pelo chef Carlos Normando, criador do Projeto Gororoba.

“A nossa proposta é ofertar ao público experiências e sensações desafiadoras, que despertam a imaginação e a cumplicidade. E o Almoço Secreto foi criado com o intuito de envolver a comunidade local nessa experiência e por isso escolhemos o Centro Cultural Venda Nova e o CRJ para sediarem esses eventos”, explica Jonnatha Horta Fortes.

O “VER(ÃO) – O Jantar Secreto” será realizado no dia 17 de janeiro, sexta-feira, às 19h, no CRJ – Centro de Referência da Juventude. Já o “VER(ÃO) – O Almoço Secreto” acontece no sábado, 25 de janeiro, às 13h, no Centro Cultural Venda Nova. Ambas atividades são gratuitas e os interessados devem retirar convite uma hora antes do evento, limitado a um convite por pessoa. Participam de cada atividade 30 pessoas. No jantar e no almoço, é montada uma grande mesa para os participantes desfrutarem de uma refeição, cujo cardápio é mantido em segredo até o momento da degustação. São servidos entrada, prato principal e sobremesa.

Artes visuais

O Projeto Parede se mantém na programação do Verão Arte Contemporânea. O artista convidado do ano é o grafiteiro Hyper que vai criar a obra “Selvagem”. Atuando na cena do graffiti desde 1997, Hyper é visionário, multimídia e autodidata. O artista é referência tanto nacional quanto internacional, devido à sua técnica e temas abordados em seus trabalhos. Suas influências vêm dos povos originários, culturas antigas, na ciência da selva e suas plantas de poder. Selvagem será criada de 28 de janeiro e 01 de fevereiro, de terça a domingo, das 9h às 21h, no Sesc Palladium. A obra ficará exposta até o dia 26 de abril. A entrada é franca e a classificação é livre.

Feira BH
Feira Textura – Crédito Agência Birdhouse Ligia Pawlow

Literatura

A 12ª edição da Textura – feira de impressões e literatura integra a programação do Verão Arte Contemporânea 2020. No sábado, 08 de fevereiro, das 11h às 17h, os jardins do Palácio das Artes recebem o evento, que contará com lançamentos de livros de artistas mineiros. A Textura nasceu do desejo de expandir a literatura para outros lugares além das livrarias e dos espaços formais de discussão e fruição do livro e das publicações. O objetivo é abrir espaço para produções independentes, contribuindo para a aproximação das linguagens literárias a outros modos de colocar o texto em prática. Entrada franca e classificação livre.

Dança

A Cia Fusion de Danças Urbanas apresenta o espetáculo “Recado do Morro” nos dias 23 e 24 de janeiro, quinta e sexta, às 20h, no Teatro Francisco Nunes. A apresentação é um desafio às ideias preconcebidas a respeito do cotidiano periférico. Ao construir o corpo como um lugar de poder e prazer, apresenta uma realidade complexa que incorpora múltiplas posições, sugerindo vibrações, intensidade e uma alegria insuperável. Os ingressos têm preços diferenciados e custam 20 reias (inteira) e 10 (meia). A classificação é 12 anos.

VAC: Festival em BH debate racismo, questões políticas e faz reflexões sobre invisibilidade
Cia Fusion – Recado do Morro – Foto: Pablo Bernardo

A LAVA, mostra de resultados da residência de criação coreográfica com Thiago Granato, será realizada nos dias 31 de janeiro e 03 de fevereiro, sexta às 19h e segunda às 19h30, no CRJ – Centro de Referência da Juventude. Por meio de um estudo coreográfico sobre a capacidade performática das mãos em criar, penetrar, queimar, derreter, fundir, mover, explodir e transformar diferentes contextos, Thiago Granato convida para uma imersão artística onde situações de trabalho individuais e coletivas, serão orientadas para a construção de uma performance em grupo. A entrada é franca e a classificação é 16 anos.

VAC: Festival em BH debate racismo, questões políticas e faz reflexões sobre invisibilidade
Palco Hip Hop 2019 – 02/02/19 ©Pablo Bernardo

O Palco Hip Hop – Danças Urbanas será nos dias 01 e 02 de fevereiro, sábado às 20h e domingo às 19h, no Grande Teatro do Sesc Palladium. O Palco propõe a valorização, difusão e promoção das danças da cultura hip hop com apresentações de MC’s, DJ’s, grupos de dança e grafiteiros, além de batalhas de danças urbanas. A classificação é livre e os ingressos têm preços populares e custam 5,00 (inteira) e 2,50 (meia).

O Teatro Marília recebe um programa de vídeo-danças em uma parceria com o Projeto Terça na Dança. No dia 21 de janeiro, terça, às 19h, será exibido o documentário Maguy Marin, L’Urgence d’Agir dirigido por David Mambouch, contendo entrevistas da coreógrafa francesa e trechos dos seus últimos trabalhos. A entrada é franca e a classificação é 16 anos.

VAC: Festival em BH debate racismo, questões políticas e faz reflexões sobre invisibilidade
Portrait de Noe Soulier, chorégraphe, au CND Pantin

O projeto “Portrait”, em colaboração com o Centre National de La Danse (CND), da França, será realizado no dia 03 de fevereiro, segunda-feira, às 19h, no Teatro Marília. A mostra vai exibir filmes de coreógrafos europeus da atualidade com entrada franca. Serão exibidos os filmes: Les Théâtres Du Moi (Alain Buffard), Le Décalage (Fanny De Chaillé), La Ribot ou La Durée Du Geste (La Ribot), Écriture Sur Écriture (Noé Soulier), De L’endurance (Lisbeth Gruwez), Rythme Et Langage (Daniel Linehan) e La Désinstallation (Miet Warlop).

O filme Retrospective, de Jérôme Bel, será exibido no dia 11 de fevereiro, terça-feira, às 19h, no Teatro Marília. A película mostra a evolução do pensamento de Jéromê Bel, um dos mais importantes coreógrafos franceses dos últimos anos. A produção lança um olhar subjetivo sobre as obras do francês com uma compilação e montagem de imagens filmadas de seis dos seus espetáculos mais relevantes. A entrada é franca e a classificação é 16 anos. Após a apresentação, haverá um bate-papo com a crítica teatral e pesquisadora Julia Guimarães.

Cinema

Com curadoria do Grupo Oficcina Multimédia, o Verão Arte Contemporânea realiza o Panorama do Cinema Francês – Anos 50/60. “Para a mostra selecionamos alguns dos filmes de Henri-Georges Clouzot, Louis Malle e Jean-Luc Godard, que precederam ou integraram o movimento da Nouvelle Vague, buscaram a experimentação da linguagem e transgrediram as regras estabelecidas no cinema comercial da época”, afirma Henrique Mourão, um dos curadores da Mostra de Cinema do Verão Arte Contemporânea. O Panorama conta com o apoio do Instituto Francês, Cinemateca da Embaixada da França e Embaixada da França no Brasil.

Nos dias 04 e 06 de fevereiro, o Panorama será no Cine Humberto Mauro às 17h, 19h e 21h. Já no dia 05 de fevereiro, quarta-feira, às 19h, no Cine Sesc Palladium. Nesse dia o crítico Maurício Vasconcelos estará na cidade para comentar o filme “O demônio das Onze Horas” de Jean-Luc Godard. A entrada é gratuita com retirada de ingressos 30 minutos antes de cada sessão. A classificação é 16 anos. Serão exibidos os filmes “As diabólicas”, “O mistério Picasso”, “Ascensor para o Cadafalso”, “Zazie no metrô”, “O desprezo” e “O demônio das onze horas”.

Já a Perspectiva André Luiz traz a Belo Horizonte uma seleção da produção do cineasta baiano radicado em Brasília. “O outro lado da Memória”, seu mais recente filme, será lançado no VAC e o diretor participará de um bate-papo mediado pela escritora Lucia Castelo Branco. A Perspectiva será nos dias 05 e 06 de fevereiro no Cine Humberto Mauro e de 06 a 09 de fevereiro no Cine Sesc Palladium. A entrada é franca com retirada de ingressos 30 minutos antes de cada sessão. A classificação é 16 anos.

Serão exibidos os filmes Cozinheiro do tempo, Zirig Dum Brasília – A arte e o sonho de Renato Matos, Exu iluminado e O outro lado da Memória. No dia 06 de fevereiro, quinta-feira, após a sessão das 19h, que marca o lançamento do filme O outro lado da memória, haverá um bate-papo com o diretor no Cine Sesc Palladium e no dia 07 de fevereiro, o filme será exibido novamente no Cine Humberto Mauro e também comentado pelo diretor André Luiz Oliveira.

Exposição Indisciplinar - Cred. Grupo de Pesquisa Territórios Populares
Exposição Indisciplinar – Grupo de Pesquisa Territórios Populares

Arquitetura

Realizado pelo Grupo de Pesquisa Indisciplinar da UFMG, a exposição Territórios Populares é fruto de atividades de ensino, pesquisa e extensão do grupo Indisciplinar, realizadas a partir do encontro com territórios do hipercentro expandido de BH. A exposição convida a adentrar por meio da fotografia, cartografia e oficinas os desdobramentos de narrativas sobre processos de disputas territoriais e resistências locais. A abertura será na sexta-feira, 17 de janeiro, às 19h, no Centro Cultural UFMG. A exposição fica em cartaz até 09 de fevereiro. Segunda a sexta, das 10h às 21h. Sábado e domingo, das 10h às 18h. A classificação é livre e a entrada é franca.

Serviço:

Verão Arte Contemporânea 2020 – BH
Data: de 15 de janeiro a 11 de fevereiro
Em 16 locais em Belo Horizonte, MG

Ingressos: http://www.sympla.com.br/veraoarte. Consultar valores. Há atividades com entrada franca, mediante retirada de ingressos 30 minutos ou uma hora antes do evento ou sessão.

Informações: http://www.veraoarte.com.br

Facebook: https://www.facebook.com/veraoarte/

Realização: Grupo Oficcina Multimédia Apresentação e Patrocínio: Uni BH
Incentivo: Lei Municipal de Incentivo à Cultura de BH Apoio: Sesc em Minas, Centro de Referência da Juventude BH, Fundação Municipal de Cultura BH, Secretaria Municipal de Cultura BH, Prefeitura de Belo Horizonte, Cinema Belas Artes BH, Restaurante Bem Natural BH, Restaurante Cantina do Lucas BH, Hotel Dayrell BH, Cinemateca da Embaixada da França, Instituto Francês, Embaixada da França no Brasil, Festival de Verão UFMG, Conservatório UFMG, Centro Cultural UFMG, Diretoria de Ação Cultural da UFMG, UFMG, Centro Cultural Minas Tênis Clube BH, Fundação Clóvis Salgado BH, Ingresso Rápido, Centro Cultural SESIMINAS BH, SESI/FIEMG, Secretaria Estadual de Cultura de MG, Governo de Minas, Funarte MG, Ministério do Turismo, Governo Federal, além das parcerias com os artistas locais.