GAY BLOG BR by SCRUFF

O cenário musical LGBTQIA+ se fortalece este ano de 2021 com Faype, natural de Paragominas, no Pará, e radicado em João Pessoa. O jovem artista de 27 anos se envolveu com a música ainda infância, ma foi nos últimos cinco anos que começou a sua jornada no cenário pop, interpretando composições autorais, participando de festivais municipais e estaduais pelo Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

Atualmente, Faype trabalha no lançamento “Te Amar”, canção de seu primeiro álbum pelo selo/gravadora VVM. Em entrevista exclusiva ao Gay Blog BR, Faype falou sobre seu debut no mercado musical; confira abaixo.

Como você descreve seu estilo musical, já que você curte misturar diferentes batidas?

Eu considero pop, porque cresci consumindo música pop; e essa mistura de estilos, gêneros e tendências, sempre foi comum na cultura pop. E sinto que ainda não explorei nem 20% dos estilos que gosto.

Com apenas 5 anos de carreira, você já teve suas canções reproduzidas em 69 países no Spotify, onde já registra mais de 10 mil seguidores. Em 2020 registrou mais de 123 mil ouvintes no mundo…

É uma sensação louca, e me motivou muito para produzir com mais confiança para este ano. Sinceramente, ainda não me sinto internacional, eu me sinto feliz por viver nessa geração conectada que permite que essas conexões sejam construídas. Fico ainda mais feliz pela música brasileira, antes da era do streaming o nosso idioma era uma barreira e, agora, a qualquer momento alguém em qualquer lugar do mundo pode ouvir o que quiser a um clique – de repente, o que nos separava se tornou atrativo para outras nações.

Faype
Faype – Divulgação

A faixa Te Amar é uma declaração de amor pelo seu namorado, inclusive existe uma diferença de idade entre vocês. Fale um pouco dessa relação que te inspira a compor?

A nossa relação me fez tão bem e sinto que evolui muito como ser humano! As experiências passadas me fizeram construir um muro em volta, e isso me fez frio e apático. Muita coisa precisou acontecer para eu voltar a ser capaz de amar alguém novamente, e quando eu entendi que estava apaixonado pelo André, e que era amor, eu me senti curado e livre. Mas eu não podia contar para todo mundo, a realidade dele era outra, ele estava começando a se aceitar, e ainda vivia no armário para família e sociedade; superamos muitos desafios juntos para que finalmente pudéssemos superar o medo do preconceito ao assumir nossa relação. Eu só queria homenageá-lo e fazê-lo sentir na internet, com meus fãs, a aceitação que ele não teve em casa, com a família. Eu não tinha certeza sobre como iriam reagir, devido a nossa diferença de idade. Eu nunca olho para ele e vejo 52 anos, eu vejo o homem que amo, então fiquei muito feliz quando meu público o recebeu com tanto amor e carinho.

Faype - Divulgação
Faype – Divulgação

Você lançou uma websérie em 3 episódios onde você e ele compartilham a história de amor de vocês. Qual a principal mensagem que você quis transmitir com a obra?

Eu quis reforçar que o amor não tem idade, sexo, cor, etnia ou religião e, principalmente mostrar com a nossa história, que o amor só é vivido de forma plena, quando você aprende a se amar primeiro, conectando ao fim da história que eu comecei a contar na minha primeira web série “Quase Lá” (2020), também disponível no IGTV.

Faype - Divulgação
Faype – Divulgação

Sua música Muito Green tem uma batida bem rap, quem são suas influências na música?

São muitas viu, nacionais e internacionais; Elvis, Cazuza, Anitta, Emicida, Matuê, Glória Groove, Britney, Miley, Prince, Renato Russo, Ney Matogrosso, Liniker, Lily Allen, Link Park, Avril Lavigne, e muito mais. Eu sempre fui de ouvir vários artistas, e me referenciar por tudo que achava bom, em cada um deles eu identificava uma parte de mim. Atualmente, eu tenho acompanhado muito também o trabalho do Thiago Pantaleão, e com certeza é uma influência, ele arrasa.

Você participa de todo processo criativo do seu trabalho? Inclusive dos videoclipes?

Atualmente sim, no começo eu ouvia demais os outros, e não me envolvia em algumas etapas, e isso acabava tirando parte da minha identidade no trabalho. Por isso, nessa nova fase, eu participo de tudo, do começo ao fim.

Faype - Divulgação
Faype – Divulgação

O que acha de artistas como Pabllo Vittar, Urias, Glória Groove que representam a cena LGBTQIA+ no país?

Simplesmente nossos ícones, eu tenho orgulho de saber que eu e Pabllo Vittar vivemos nossas infâncias no Pará, acho que é o mais próximo que chego dessa diva; Glória é muito inspiração, eu simplesmente adoro, e a Urias, nossa, meu novo vício. Elas arrasam, o lugar que elas ocupam é mais que merecido. Eu acho incrível acompanhar o sucesso delas, e vejo o quanto a nossa luta avança com artistas como elas tendo sucesso na música.

Faype - Divulgação
Faype – Divulgação

Como é a cena LGBTQIA+ em João Pessoa?

A cidade é muito inclusiva e diversa, temos vários coletivos e ONGs que defendem os direitos e lutam por políticas públicas inclusivas, como o GMMQ (Grupo de Mulheres Lésbicas e Bissexuais Maria Quitéria), a ASTTTRANS_PB (Associação de Pessoas Travestis, Transexuais e Transfeministas da Paraíba) e o MOVBI (Movimento de Bissexuais). Aqui vigora a Lei Estadual Nº 10895/2017 que obriga a fixação de cartaz em estabelecimentos comerciais e órgãos públicos informando que a Lei Estadual Nº 7309/2003 proíbe e pune atos de discriminação em virtude de orientação sexual e identidade de gênero. Temos ainda na música a rapper Bianca Manicongo (Bixarte) e a artista trans Arquiza que também representam muito a cena local, e muito mais por que se tem algo que não falta na paraíba, são talentos artísticos de todos os clãs.

Faype - Divulgação
Faype – Divulgação

Quais os seus projetos pós-pandemia?

Eu estou com muita saudade dos palcos e não descarto a possibilidade de uma turnê para promover o álbum que vem aí em breve, mas ainda não sinto segurança de planejar algo assim devido ao desgoverno que ainda está na poder, inclusive: FORA GENOCIDA. Tenho muitos planos e metas para o pós-pandemia, mas por hora não posso falar muito a respeito.

Faype - Divulgação
Faype – Divulgação

Falando no seu álbum futuro, o que podemos esperar? Já tem alguma previsão de lançamento?

Eu tô muito feliz em finalmente poder lançar um álbum sob o selo/gravadora VVM (Vila Vortex Music), e pra compensar a espera de quem já me acompanha desde o começo, eu posso adiantar que ele traz um pouco de tudo que eu gosto, e tenho ouvido nos últimos anos, e tá bem misto, quis explorar muitas referências. O álbum completo ainda não tem data, ele vai ser dividido em dois EP’s e por último o álbum, mas a primeira parte dele está vindo aí, muito em breve.

Faype - Divulgação
Faype – Divulgação

SERVIÇO

Assista aos 3 episódios da websérie: episódio 1, episódio 2 e episódio 3.

Para acompanhar Faype:
Site: faype.com.br
Instagram: @faype
Twitter: @faypeoficial
Facebook: /faype.oficial
Spotify: open.spotify.com/artist/5dLskbOm6DmtQFpfrU5dt0
Youtube: youtube.com/channel/UCdo2DhFv5Bq-v26mTOvtgSw

Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.