GAY BLOG BR by SCRUFF

Até 06 de maio, o Coletivo Caracóis faz temporada virtual com o espetáculo “ELAS”, que foi concebido inicialmente como um experimento cênico virtual criado durante a pandemia do coronavírus.

O Coletivo chama o trabalho de “experimento cênico virtual” por entender que habita um espaço novo de criação. A própria plataforma do Zoom, que virou espaço de pesquisa ou palco virtual, foi utilizada como cenário e elo de ligação entre as personagens. A distância e a virtualidade determinaram e habitaram a estética para a construção de planos explorada pela encenação. O start para pesquisa foi a moldura ficcional: duas mulheres lésbicas, que se relacionam e estão separadas por conta da pandemia, marcam um encontro virtual para elaborar seus sentimentos, revelando o efeito do isolamento e distanciamento em sua relação: “É possível a manutenção e permanência de uma relação amorosa, construída na presencialidade, e que agora, por questões que fogem ao controle, se restringe a um ambiente virtual?”.

Com o momento pandêmico, onde tanto as convivências intensificadas quanto as distâncias não planejadas se tornaram realidades impostas, muitos casais se separaram, periódica ou definitivamente. Experiências como estas dentro de nosso próprio coletivo de trabalho. Então, partindo das experiências pessoais, das vivências e também das observações e questionamentos, surge a pulsão para criação de “ELAS”.

A dramaturgia, escrita em processo colaborativo, é precisa e aguda ao transformar o diálogo entre elas em um poético desabafo sobre nossa realidade global – atravessada por acontecimentos incontroláveis e, ao menos, sobre a ótica de quem nos tornamos a partir deles, irreversíveis.

A narrativa dramatúrgica trata não só da relação amorosa de duas mulheres, mas também sobre a necessidade de persistir tentando se relacionar mesmo quando a distância física é imposta. O texto pode ser lido como metáfora do próprio encontro deste grupo de mulheres artistas: a resistência e persistência exercida ao fazer teatro intermediadas pela tela.

“ELAS é sobre a complexidade das relações humanas, suas dores e delícias, uma ode virtual à presença. É sobre a beleza do encontro, sobre a saudade latente de quando isto era possível sem a necessidade das janelas de navegadores, sobre como esse grupo de artistas mulheres inventou possibilidades de resistir a partir da nova e transitória, esperamos, realidade”, conta o Coletivo.

Em paralelo à temporada, o Coletivo Caracóis fará residência artística ocupando as redes do Centro Cultural da Diversidade, compartilhando com o público os desdobramentos de pesquisa em torno do experimento virtual “ELAS”.

Para a residência, o Coletivo Caracóis programou uma pesquisa virtual em forma do questionário “ELAS: O Amor em Tempos Pandêmicos”, com o objetivo de coletar histórias de como as relações amorosas têm sido afetadas nestes tempos de pandemia, tendo como perspectiva o relato de mulheres, principalmente lésbicas.

Os relatos colhidos nesta pesquisa servirão de material para a produção do “Episódio 2” do experimento virtual “ELAS”. Tal ação é um desdobramento da pesquisa do Coletivo, pois se no primeiro episódio a equipe recolheu e compartilhou as histórias das próprias artistas durante o processo, neste segundo episódio, pretende-se dar voz a mais mulheres, ampliar suas perspectivas, refletir sobre as relações e dar continuidade a um trabalho conectado com o tempo em que vivemos.

Já estão agendadas algumas ações: no dia 29/04, às 19h, pelo Instagram do Centro Cultural da Diversidade, o Coletivo Caracóis apresenta a desmontagem do experimento cênico-virtual “ELAS” com fragmentos do processo de construção do primeiro episódio, reunindo as artistas do projeto. Esta ação se dará de forma paralela à temporada na plataforma SP Escola Digital, pelo Sympla. No final de Maio, o Coletivo fará o compartilhamento do processo de construção de “Elas, episódio 2”, através de uma abertura de processo.

SERVIÇO

“ELAS” | Coletivo Caracóis
Temporada – SP Escola Digital | Sympla
Datas: 29 de abril  e 04, 05, 06 de maio, às 21h.
Ingressos: https://www.sympla.com.br/produtor/spescoladeteatrodigital
Valores opcionais: R$10,00 – R$25,00 – R$50,00

“Elas” – Desmontagem
Canal Instagram @ccdiversidade – 29/04 – 19h 

Abertura de processo “Elas, episódio 2”
Canal Instagram @ccdiversidade –  final de maio, data a confirmar. 

Questionário pesquisa virtual: https://forms.gle/a31AF6ceY4xyebSu5

Sinopse: Brasil, 2020. Elas não estão juntas. O que eram dias, se tornaram meses e elas já perderam as contas. Apesar dos quilômetros que as separam, um encontro é marcado em uma plataforma virtual: o olho no olho, o toque, o cheiro, a possibilidade de um último beijo não existem. E se tudo isso não tivesse acontecido, como estaríamos agora? 

Ficha técnica

Criação: Carina Murias, Carol Moreno, Fernanda Heitzmann, Maria Carolina Ito, Náshara Silveira e Sol Faganello
Direção: Náshara Silveira e Sol Faganello
Dramaturgia: Carina Murias
Textos e atuação: Carol Moreno e Fernanda Heitzmann
Concepção de Luz e Som: Maria Carolina Ito
Arte gráfica, fotos e vídeos: Sol Faganello
Produção e Realização: Coletivo Caracóis

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.