GAY BLOG BR by SCRUFF

Melhor texto do prêmio Timochenco Wehbi de 1990 e finalista do Shell na mesma categoria no ano seguinte, a peça Sabe Quem Dançou?  com o estilista Clodovil Hernandes (1937-2009) como protagonista na época – estreia sua 22ª. temporada nesses seis anos em cartaz. As quatro sessões acontecem nos dias 5, 12, 19 e 26 de fevereiro, às 21 horas, no Teatro West Plaza.

"Sabe quem Dançou?" - Foto: Ronaldo Gutierrez
“Sabe quem Dançou?” – Foto: Ronaldo Gutierrez

Criada a partir do intrigante texto de Zeno Wilde (1947-1998), autor responsável por conhecidas obras como Blue Jeans e Zero de Conduta, a montagem atual do diretor Hermes Carpes é produzida pela Primo 88 Produções e conduzida pela companhia teatral Os TocáveisSabe Quem Dançou? retorna com Hermes Carpes, Marcondes Lobo, Kalel de Oliveira, Alexandre Amaral e Ronaldo Spedaletti no elenco, além dos atores convidados João Machado e Leal Duarte.

Ambientada no anos 80, a tragicomédia desvenda o universo do expressivo personagem Madonna, esperto receptador de objetos roubados que ampara “rapazes” em sua casa. A narrativa ágil acompanha sua vida e a de outros personagens marginalizados diante dos desafios da sociedade. Sexo, violência e corrupção explodem no palco através de potentes interpretações que escancaram – com a ajuda de diálogos ácidos – as mazelas, os tipos, o contexto, a linguagem e as situações que se aplicam perfeitamente aos dias atuais. A postura realista adotada na peça, conta Hermes, provoca choque e reflexão sobre questões tão conhecidas, mas muitas vezes ignoradas. A peça “atravessou décadas sem perder seu significado e importância e, agora, se destaca ainda mais com seu texto forte e imprescindível para momentos como esse que estamos vivendo em nosso país”. O encenador acredita na força do texto por abordar temas atuais como corrupção, jogo de poder dos políticos e milícias.

"Sabe quem Dançou?" - Foto: Ronaldo Gutierrez
“Sabe quem Dançou?” – Foto: Ronaldo Gutierrez

A encenação de Hermes Carpes foge da original e aposta na alteração de elenco a cada temporada. Esta característica, para o diretor, é responsável por dar gás e frescor ao espetáculo. “O público sabe que verá sempre uma peça diferente”, conta, ressaltando que o sabor de novidade também permeia o show de boate inserido na montagem. Desde setembro de 2015, quando estreou em Lages, em Santa Catarina, o espetáculo vem sendo apresentado em vários Estados do Brasil como São Paulo, Rio Grande do Sul, Minas e Rio. Gaúcho de Porto Alegre, o diretor apaixonou-se pelo texto de Zeno Wilde há mais de 15 anos, quando se formou na Cal, no Rio.

Logo no início Hermes optou pela mudança de nome do protagonista. Pediu à filha de Zeno Wilde, herdeira do texto, autorização para alterar de Vanusa (referência à cantora falecida recentemente, ícone da beleza na época, e que na versão original era interpretada por Clodovil) para Madonna.  “A mudança deu outra cara ao espetáculo”, diz Hermes, revelando que a viúva de Zeno Wilde, Sandra, e sua filha, deram aval ao espetáculo. Inspirada num dos maiores ícones da música pop, a personagem principal tem a cantora americana como referência e ídolo. São de Madonna também as músicas da trilha sonora do espetáculo, além de sons urbanos de rua, freadas de carros e gritos. Como cenário, o pequeno e bagunçado estúdio imaginado pelo diretor comporta uma cama, uma mesa, um santuário e um banheiro. Durante dois meses, na fase da pesquisa e laboratório para conceber sua encenação Hermes visitou a Cracolândia, cinemas de filmes pornôs e outros ambientes de prostituição.

“Se faz necessário ao conduzir o espectador à releitura e ao questionamento de suas próprias crenças, de seus valores herdados, do moralismo de ocasião e do preconceito travestido de liberdade de expressão.” (Paulo Sales – Circuito Geral).

Serviço:

Temporada: 05, 12, 19 e 26 de Fevereiro de 2021.
Horário: Sextas-feiras às 21h. Local: Teatro West Plaza Shopping.
Ingressos: R$ 60 (inteira); R$ 30 (meia) – R$ 25,00 (antecipado no bilheteriaexpress.com.br)
Endereço: Shopping West Plaza – Av. Francisco Matarazzo – Água Branca. Cidade: São Paulo. Referência: Ao lado do Allianz Park e próximo ao metrô Barra Funda.
Classificação: 16 anos.
Duração: 70 minutos.
Gênero: Tragicomédia.
Informações no Teatro: 11 4858 1421.
Funcionamento da bilheteria: Ter. a Dom. das 14h às 22h.
Capacidade: 140 lugares.
Contato da Produção: (11) 98682-2701
Informações: carpesproducoes@gmail.com

Ficha Técnica

Texto: Zeno Wilde. Direção: Hermes Carpes. Elenco: Hermes Carpes, Marcondes Lobo, Kalel de Olveira, Alexandre Amaral e Ronaldo Spedaletti. Atores convidados: João Machado e Leal Duarte. Produção: Hermes Carpes. Produção executiva: Flavia Primo. Figurino e Cenário: Carpes Produções. Costureira: Valeria Rocha. Adereços: Marisa Nascto. Maquiagem: Acsa Targino. Fotografia em Estúdio: Sérgio Santoian. Fotografia em Cena: Ronaldo Gutierrez, Jean Bueno e Deivid R. Purificação. Sonoplastia: Flavio Toda. Desenho de Luz e Iluminação: Drigo de Lisboa. Contraregra: Flávio Toda. Idealização e Montagem: Cia. Os Tocáveis. Produção e Realização: Primo 88 Produções e Carpes Produções.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.