No último dia 27, Luísa Marilac compartilhou em seu Instagram um vídeo de Juju Oliveira, uma jovem trans natural de Passo Fundo, Rio Grande do Sul, com a face bastante inchada. No vídeo, Juju pede para que a população pare de fazer chacota com sua aparência. Em 2017, por razões estéticas, ela se submeteu a aplicações de silicone industrial no rosto, o que acabou lhe trazendo graves consequências em seu rosto.

juju oliveira
Reprodução

Você imaginava que o vídeo teria tamanha repercussão?

Não, eu não esperava, porque o meu vídeo foi para pedir respeito para as pessoas daqui da cidade de Passo Fundo. Eu trabalho até hoje na rua, nem sempre consigo trabalhar, porque às vezes meu rosto fica muito inchado, mas trabalho na rua. Então eu fiz esse vídeo para as pessoas entenderem que eu preciso estar ali na rua, que eu preciso ir trabalhar na rua, porque é dali que eu tiro o meu sustento, os meus “trocos”, o meu dinheirinho, pra eu comprar as minhas coisas, pra eu não tá precisando pedir nada pra ninguém. Foi exatamente por respeito e, como eu publiquei isso no meu Facebook, compartilharam e foi indo, indo, indo e espalhou pelo Brasil. 

Quando você decidiu fazer o procedimento estético, você estava ciente da gravidade, dos riscos ?

Eu procurei isso por vontade própria, sabia sim das consequências, sabia que era clandestino, mas eu não tinha essa noção da gravidade, do que poderia acontecer. Então, foi um erro meu ter procurado uma pessoa que não era especializada, não tinha uma formação pra isso. Eu errei nesse ponto por ter procurado. Hoje, eu processaria se soubesse quem fez o procedimento, mas como é algo assim clandestino, então, é tudo no sigilo.

Depois de quanto tempo começou a inchar o rosto?

O silicone [industrial] no rosto eu coloquei no final de 2017; então, faz dois anos e meio que eu tenho. Durante um ano ele ficou, assim, até que bom. Mas depois, no outro ano e meio, ele começou a inchar, inflamar e dobrou o tamanho.

A aplicação desse tipo de silicone foi somente no rosto ou em outras partes do corpo também?

Não, eu não tenho silicone em parte nenhuma do meu corpo e não pretendo colocar; o único lugar que eu tenho é no rosto, né, nas bochechas, no queixo, no maxilar. E é onde eu preciso da cirurgia, somente no rosto eu tenho silicone. No corpo não tenho e não pretendo colocar.

Juju Oliveira
Reprodução

Você sente dores no rosto? Esse tipo de silicone corre o risco de descer, não é?

Não, dor eu não sinto nenhuma; não sinto dor nenhuma. O problema é o inchaço, o silicone dobrou muito e realmente ele tá descendo para o pescoço porque eu fiz todo o maxilar, todo o contorno, entende? E foi um erro que me fizeram; foi um crime que cometeram em mim; e o excesso que colocaram, a quantidade que colocaram, e já colocaram uma quantidade grande e com o tempo ele dobrou (tamanho); e ele desce, realmente ele desce, porque eu fiz todo o contorno do rosto e ele não se firmou durante esses dois anos e meio, e ele tá descendo; então eu tenho que tirar.

Como é a relação com a sua família? Eles têm te dado apoio?

Eu atualmente moro com o meu pai na casa dele; eu tenho uma boa relação com meu pai, com a minha irmã, com a minha família inteira. A gente se respeita, mas não moramos juntos. No caso, eu moro só com o meu pai; a minha irmã (31 anos) é casada; a minha outra irmã (12 anos) é do segundo casamento da minha mãe; e minha mãe, né, que casou de novo e depois se separou. Eu fiquei com o meu pai, morando com ele, todo mundo me aceita e ninguém tem preconceito comigo.

Há quanto tempo você trabalha como profissional do sexo? E de que forma o inchaço prejudicou o seu trabalho na rua?

Na prostituição desde os meus 17 anos. E dificultou, né, antes eu trabalhava, tinha uma vida e hoje é outra. Então, com certeza o silicone trouxe prejuízos para a minha vida.

Você tem recebido muitas mensagens nas redes sociais, inclusive alguns famosos  compartilharam o seu vídeo como a trans Luisa Marilac e a funkeira Jojo Todinho. Como tem sido esse apoio?

São muitas mensagens; em três dias eu ganhei 20 mil seguidores; todos torcendo por mim, dizendo que estão do meu lado, que se preocupam comigo e que querem de alguma forma me ajudar.

É possível, através de uma cirurgia, remover o silicone industrial mesmo com o risco dele ter se espalhado?

Sim, do mesmo jeito que o silicone entrou, ele pode sair sim, só que a dificuldade é maior porque depois ele entra em estado líquido, meio gelatinoso, e dentro do corpo ele vai ficando gelatinoso até se formar um silicone. E tem que fazer uma raspagem, é uma coisa mais complicada, uma cirurgia mais cara, mais delicada, demora mais. Mas é possível sim; não cem por cento. E o médico disse que não garante se a aparência voltará a mesma como era antes, mas tem como retirar sim e fazer todo o procedimento da retirada de silicone.

Qual o seu sonho?

Meu sonho é poder viver bem daqui em diante; ter uma qualidade; uma saúde melhor; viver mais descansada; mais serena; mais tranquila; resolver o meu problema e ter uma vida melhor; é isso que eu quero.

Google Notícias