E o pocnejo está vivíssimo! A cena musical de música sertaneja tem crescido cada vez mais com novos nomes LGBTQI+ que chegou o momento de ter um festival especial: o Fivela Fest.

Gabeu, Romero Ferro, Gali Galó e Aíla pocnejo queernejo
Os pocnejo Gabeu, Romero Ferro, Gali Galó e Aíla.

Com isso em mente, a mentora do projeto Mapa dos Festivais, Juli Baldi, buscou os idealizadores do Fivela Fest, os artistas Gali Galó e Gabeu, para anunciarem a data da estreia do primeiro festival sertanejo LGBTQI+: dia 19 de junho no Audio, em São Paulo. Ingressos já estão disponíveis neste link aqui.

Na página do Fivela Fest dentro do Mapa dos Festivais, já estão disponíveis informações de como chegar no local do evento e onde se hospedar próximo ao festival. A página também oferece uma lista de espera, onde é possível se cadastrar para receber informações a medida que são divulgadas.

“O Mapa dos Festivais pretende, além de oferecer informações úteis sobre os eventos, servir como um espaço para documentar novos artistas e cenas e instigar o público a conhecer o próprio país através dos festivais. Acreditamos que festivais levam muito mais do que entretenimento, levam desenvolvimento para a região onde acontecem e são a plataforma chave para conectar os artistas com o público”, afirma Juli.

Além disso, também divulgam as primeiras atrações do line up, dois feats pra lá de especiais: Gabeu convida Romero Ferro e Gali Galó convida Aíla.

Nascido no interior de São Paulo, na cidade de Franca, Gabeu descreve seu estilo musical como “a mistura do pop com minhas raízes”. Com dois singles lançados, incluindo o hit Amor Rural, o jovem artista usa o termo Pocnejo para se identificar e prepara o lançamento do primeiro álbum sertanejo queer para 2020, valorizando as narrativas cujo a figura heteronormativa seja questionada. “Você pode encontrar na minha playlist desde de Lady Gaga até Milionário & José Rico”, diz o cantor sobre suas referências. O convite para Romero surgiu pelo artista pernambucano também casar raízes da música nordestina com elementos do pop; é quase uma espécie de mesma releitura em diferentes linguagens.

Gali Galó ecoa melodias aprendidas na infância em Ribeirão Preto, sua cidade natal no interior paulista. Sob influência da música caipira e rodas de viola, a vida adulta em São Paulo lhe apresentou a comunidade LGBTQIA+. Com uma voz grave, GALI assume um timbre que lembra Zé Ramalho e, em seu drama, mergulha num personagem tragicômico que flerta com a música brega de Sidney Magal e Reginaldo Rossi. Em seu primeiro single, Fluxo assume sua identidade não binária e convida a paraense lésbica Aíla (Lesbigay) para essa parceria e também para dividir com ela e o palco da estreia do Fivela.

A programação do festival de pocnejo busca abranger de forma bem ampla os diferentes conceitos do Queernejo. Gabeu e Gali, dois dos artistas e também idealizadores do evento, apresentam um line-up ritmicamente diverso com diferentes representantes da comunidade LGBTQ+, possibilitando dessa forma, a apresentação de pontos de vista e vivências variados.

Os ingressos estarão disponíveis a partir de R$25 pelo Ticket360 “O Fivela Fest chegou para mostrar que existe, sim, o Queernejo e que LGBTQs estão inseridos também em contextos interioranos e rurais, onde a música sertaneja e as tradições da cultura caipira são extremamente enraizadas”, diz Gali.

SERVIÇO

1ª edição do Fivela Fest
Data: 19 de junho
Local: Audio – Francisco Matarazzo, 694 – São Paulo, SP
Ingressos: 1º lote – a partir de R$25
Venda online aqui

Entrevistamos Gabeu, o ~princeso~ do pocnejo

Conheça o Mapa dos Festivais

Quem já viveu a experiência de buscar informações sobre festivais no Brasil sabe que não é uma tarefa fácil. Muitas vezes, o evento não tem um bom site oficial e as informações ficam dispersas nas redes sociais. Este foi o gancho para que surgisse o Mapa dos Festivais, um buscador de festivais de música, no qual estão reunidas todas as informações relativas a eventos de norte a sul do país, desde o mais independente, passando por festivais de sertanejo, de música gospel, música eletrônica e chegando aos clássicos Lollapalooza e Rock in Rio. Além disso, o projeto visa promover o que chama de turismo de festival e serem mais uma ferramenta de trabalho para os profissionais da música no país.

Além de encontrar informações essenciais, como line up, local e datas, o público pode entrar na lista de espera para receber as confirmações de festivais que ainda não definiram line up/horários completos. E, ainda, o blog do projeto tem as seguintes editorias: Festivais, Viagens, Notícias e Coberturas. O Mapa dos Festivais permite também acesso ao site de venda de ingressos do respectivo evento, descobrir detalhes de como chegar não só ao festival, mas também na cidade onde ele vai acontecer e, ainda, será possível visualizar em tempo real opções de hospedagens próximas ao local, através da parceria inédita no Brasil com a plataforma espanhola Closer2Event.

Outro parceiro de destaque do projeto é o coletivo Fosso Coletivo, que assina todas as fotos divulgadas pelo Mapa. Além disso, o Mapa pretende incluir uma ferramenta de avaliação dos festivais, onde o público poderá rankear os melhores eventos e deixar comentários a respeito e salvar os eventos que gostaria de ir. O Mapa também pretende fornecer dicas do que fazer nas cidades durante o festival e uma área exclusiva para os realizadores cadastrarem seus próprios eventos entre outras ações. A concepção da identidade visual do Mapa dos Festivais foi em parceria com o estúdio de design CAXA.

Google Notícias