Na noite desta quarta-feira, 29, Jair Bolsonaro publicou em sua página no Facebook uma lista com falsas diretrizes sobre “políticas educacionais da da OMS (Organização Mundial da Saúde)”, na qual afirma que a instituição recomenda masturbação para crianças de 0 a 4 anos e relações homossexuais entre as de 4 a 6 anos de idade.

- CURTA A PÁGINA DO FACEBOOK -

A publicação, que não cita a fonte dos supostos dados, ficou poucos minutos no ar e foi apagada, mas o print é eterno:

Bolsonaro diz que OMS recomenda sexo gay entre criaças de 4 a 6 anos
Reprodução/Facebook

“Essa é a OMS que muitos dizem que devo seguir no caso do coronavírus. Deveríamos então seguir também suas diretrizes para políticas educacionais?

Para crianças de 0 a 4 anos de idade:
– satisfação e prazer ao tocar o próprio corpo *masturbação*
– expressar suas necessidades e desejos, por exemplo, no contexto de *brincar de médico*
– as crianças têm sentimentos sexuais mesmo na primeira infância.

Para crianças de 4 a 6 anos de idade:
– uma identidade de gênero positiva;
– gozo e prazer ao tocar o próprio corpo;
– masturbação na primeira infância;
– relações entre pessoas do mesmo sexo.

Para crianças de 9 a 12 anos:
– primeira experiência sexual.”

O OMS, obviamente, não possui essas diretrizes.

GUERRA CONTRA OMS

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, Jair Bolsonaro tem tentando desvalidar a OMS. A Organização Mundial da Saúde, no entanto, continua pregando o isolamento e o distanciamento social como principais medidas contra a Covid-19.

Na semana passada, durante uma live, Bolsonaro desdenhou das orientações da Organização Mundial de Saúde, usando o argumento de que o presidente da entidade não é médico. O etíope Tedros Adhanom Ghebreyesus, diretor-geral da OMS, é biólogo, com mestrado em Imunologia e Doenças Infecciosas (Universidade de Londres) e doutorado em Filosofia e Saúde Comunitária (Universidade de Nottingham, Reino Unido). Foi ministro da Saúde e das Relações Exteriores da Etiópia, presidente do Conselho Executivo da União Africana, presidente do Fundo Global de Combate à Aids, Tuberculose e Malária, além de acumular outras diversas experiências ligadas à área da saúde.

Foto: Loja das Pocs
Google Notícias