Nesta semana, o diretor Francis Lee pediu, em sua conta do Twitter, para que os espectadores não assistissem ao filme God´s Own Country (“Reino de Deus”) na Amazon porque a plataforma de streaming teria censurado partes importantes do longa-metragem. Após a repercussão, Lee voltou ao Twitter para esclarecer que aparentemente foi a distribuidora de filmes que cortou as cenas de sexo gay – e não a Amazon.

“Caros amigos dos Estados Unidos, após uma investigação soubemos que God´s Own Country não foi censurado pelo @PrimeVideo (Amazon EUA), mas pela distribuidora @GoldwynFilms que destruiu a versão em streaming sem consulta para gerarem mas receita.”

Já uma reportagem feita pelo IndieWire conseguiu conversar com fontes próximas a Amazon que confirmaram sobre a distribuidora ter censurado o filme, mas sob o argumento de cumprir com as políticas da Amazon em proibir “conteúdo sexualmente explícito”. Apesar da plataforma permitir cenas de sexo e nudez, elas não aparecem em certos segmentos de publicidade e, por isso, a versão original está disponível para aluguel.

As cenas censuradas estão no vídeo abaixo, só assista se você tiver idade para ter carteira de motorista.

Brokeback Mountain da Inglaterra

God’s Own Country é um filme britânico de 2017 escrito e dirigido por Francis Lee, sendo a primeira vez que ele assume a direção de um longa metragem. O filme conta a história de dois homens que se conhecem na cena rural no norte da Inglaterra e se apaixonam ao passarem semanas sozinhos nos montes.

Segundo uma resenha feita pelo Woo! Magazine, o longa não entra no clichê da “descoberta” da orientação sexual dos dois rapazes, mas debate a necessidade de ter uma conduta heteronormativa naquela sociedade tão discriminatória. Eles não demonstram nenhum tipo de afeto um pelo outro, mesmo ambos se amando, e também escondem o relacionamento daqueles que o cercam, como família e amigos.

Rendendo sucesso de público e crítica, o colunista do The Times, Ed Potton, deu quatro de cinco estrelas e descreveu o longa-metragem como “esplendido”, dizendo que é uma versão britânica de “Brokeback Mountain“, fazendo uma referência ao clássico de Ang Lee de 2005.

Já Peter Bradshaw, do The Guardian, descreveu  filme como uma típica “história de amor britânica, com muitas emoções não sendo ditas, temores sobre o futuro, e a prontidão para transferir todas as emoções em trabalho duro”

Esclarecido o motivo da censura em "God´s Own Country"; saiba a razão

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".