O cantor e professor de Educação Física Klaus Hee publicou recentemente em seu Instagram que estava vendendo as revistas em que posou nu, sendo duas edições da G Magazine e uma da revista Íntima. Com a meta de vendê-las por R$ 100, seu lucro acabou ultrapassando os R$ 7.000.

- CURTA A PÁGINA DO FACEBOOK -
Klaus Hee lucrou R$ 7.000 com venda das revistas
Reprodução

Segundo o portal Pop Line, as vendas começaram depois que um seguidor do Instagram perguntou se ele ainda tinha as revistas.

“Tenho alguns amigos no Instagram, e um rapaz queria comprar uma. Ele me perguntou: ‘Por quanto você venderia?’. Esse rapaz foi o estopim. Vendi duas para ele. Falei: ‘Vou começar a vender’. De repente, o negócio bombou. Foi uma loucura (risos). Coloquei um valor mínimo mais o Sedex. Começaram a me chamar, fui separando por kits de três. Acabou. Depois, kits de dois. Acabou. Ficaram só s avulsas. Achei que ninguém ia querer”.

O dinheiro arrecadado será para revestir em sua carreira musical. Na última segunda-feira, Klaus Hee foi a um estúdio gravar uma música.

“Fomos fechar uma música, que custa entre R$ 3 mil e R$ 4 mil para gravar”.

G MAGAZINE

A revista foi criada pela editora de Ana Fadigas, uma jornalista e ativista LGBT que viu um mercado em potencial para ser explorado no final dos anos noventa, sendo uma forma também de ajudar a combater a discriminação. Seu sócio-fundador foi o apresentador Otávio Mesquita.

Sendo uma espécie de “Playboy” destinada aos homens gays, a revista teve sua primeira edição em outubro de 1997 e, além dos ensaios sensuais, havia diversas matérias que exploravam assuntos de interesse ao nicho designado, como comportamento, moda, crônicas, notícias e abordava debates contra o preconceito.

Com o avanço da internet, a publicação começou a entrar em crise no ano de 2008 e, em junho de 2013, saiu de circulação. De acordo com o Instituto Verificado de Circulação, a G Magazine vendia cerca de 180 mil exemplares por mês, sendo metade da tiragem média da Playboy, que é de 240 mil e, portanto, considerado um grande sucesso.

Curiosamente, a fundadora da G Magazine foi casada com Jayme Camargo, que na época era o editor da revista e que eventualmente se assumiu homossexual. Ambos tiveram dois filhos. Vale lembrar que alguns nomes bem famosos posaram para revista, incluindo Alexandre Frota, Mateus Carrieri junto com seu filho (ambos tiraram fotos separadamente), Latino e até mesmo o jogador de futebol Vampeta.

Google Notícias
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".