Com a pandemia do coronavírus, especialistas em medicina do mundo inteiro estão testando a eficiência de medicamentos contra a doença, incluindo a droga Truvada, usada para a a Profillaxia Pré-Exposição do HIV, mais comumente conhecida como PrEP.

GAY BLOG BR by SCRUFF

Estudos preliminares indicam que o Remdesivir, utilizado no tratamento de HIV/AIDS pode ser eficaz contra o coronavírus, levando a atenção dos especialistas para o Truvada, que é da “mesma família”.

David Hardy, professor adjunto de medicina da Divisão de Doenças Infecciosas da Universidade de Medicina John Hopkins, diz que eles atingem o vírus em determinado ponto que impede o seu ciclo de replicação.

PrEP foi aderida por grande parte dos homens gays em todo o mundo. Foto: Reprodução

“Se o Remdesivir funciona, sendo ele da mesma classe medicamentosa do Truvada, então Truvada também deve ser tentado.” – disse.

Apesar disso, parece que há uma diferença “chave” entre ambas as drogas, já que Truvada pode ser administrada através de pílulas orais, e por essa razão ele é utilizado como PrEP, enquanto o Remdesivir é apenas injeção intravenosa. Referente a este último, seria mais complicado tratar um grande número de pacientes.

Os testes foram feitos com dois pacientes hospitalizados, um nos EUA e outro na China, e ambos tiveram melhora nos sintomas já no dia seguinte. No entanto, o número é muito reduzido para dizer que a droga é, de fato, eficiente contra o coronavírus, mas foi o “ponto de partida” para que o Providence Regional Medical Center fizesse testes clínicos, e estes deverão sair no final de Abril.

No entanto, Hardy faz uma ressalva para aqueles que já tomam a droga para se tratar do HIV, dizendo que os cuidados tradicionais para prevenir o COVID-19 devem ser mantidos.

“As pessoas interpretaram mal quando leram que as drogas contra o HIV podiam funcionar contra o coronavírus, como se elas ficassem protegidas, e nós ainda não sabemos se isso procede.”

O professor também explica que há muitas variáveis quando envolve um mesmo medicamento sendo usado para infecções diferentes.

“Talvez a dosagem utilizada para o HIV não seja o suficiente.”

Também há testes sendo feitos com vários outros medicamentos, como a hidroxicloroquina e o azitromicina. Outro medicamento utilizado contra o HIV, Kaletra, foi testado na Itália com a população mais velha e teve resultados positivos, porém com “pequenas melhoras” na saúde.

Mesmo que a OMS diga que a vacina vai demorar de 12 a 18 meses para chegar ao público, Hardy acredita que o tratamento para quem já está infectado com o coronavírus chegará entre seis a oito semanas.

Número de héteros diagnosticados com HIV supera gays, diz estudo da WA Health

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".