GAY BLOG BR by SCRUFF

No #Provoca da próxima terça-feira, 16 de março, Marcelo Tas conversa com o ator Silvero Pereira, que interpretou Lunga, personagem do filme Bacurau, e que está no ar como Nonato, na reapresentação da novela A Força do Querer.

A edição mescla momentos engraçados com outros fortes, como quando o ator relata que sofreu abuso sexual. Em outra ocasião, mais descontraída, faz questão de confirmar que é ele mesmo que está no Tinder, aplicativo de relacionamento.

“Durante a minha infância, eu tive uma questão muito séria. Eu nunca entendi sobre o que era ser homem. Na minha cidade (Mombaça-CE), que era bem pequena, tinha uma mentalidade também muito difícil, um coronelismo, um machismo muito forte ali naquela região, então tudo que diziam, ‘você tem que ser homem, você tem que se comportar como homem, você tem que se vestir como homem, falar como homem’, sempre bateu em mim de uma maneira muito estranha.”

Sobre o abuso que sofreu ainda quando criança, o ator diz: “Aos sete anos de idade, eu fui estuprado. Eu fui levado para um matagal por uma pessoa muito mais de idade do que eu e ela fez coisas comigo que eu só fui entender seis ou sete anos depois. Além disso, teve a violência verbal de dizer ‘você é mulherzinha, a cidade vai saber se você falar sobre isso, se você contar que fui eu, eu vou te espancar’, então o que mais ficou em mim foi o medo. Eu não falei pra ninguém por muito tempo pelo medo.”

O programa #Provoca vai ao ar às 22h na TV Cultura, site oficial da emissora, redes sociais e YouTube.

Silvero Pereira conta ter sido abusado na infância: “Só fui entender 6 ou 7 anos depois”
Reprodução

Espetáculo “BR-Trans”, com Silvero Pereira, terá temporada online gratuita

O espetáculo “BR-Trans” será totalmente online e gratuito durante o mês de março, sendo 13 sessões da peça, além de uma série de atividades. Foi através deste espetáculo que Gloria Perez descobriu Silvero Pereira e o convidou para fazer novela na Rede Globo.

Criado a partir de fragmentos de vidas reais, BR-TRANS versa acerca de histórias presentes no cotidiano de pessoas do universo LGBTQI+, onde o preconceito e a violência são imperativos. Entretanto, a peça não se restringe somente a episódios tristes, ela revela casos de empatia e emoção que garantem à obra perpetuar momentos comoventes e de profunda humanização.

A partir do dia 9 de março, o público também poderá conferir uma série de atividades online pelo canal do YouTube da Quintal Produções. O músico Rodrigo Apolinário fará um workshop de iniciação musical contando com quatro aulas de 45 minutos cada, sendo desnecessário o conhecimento prévio de música. As aulas serão transmitidas às 18h nos dias 9,11,16 e 18.

E no ramo de entrevistas, também com 45 minutos de duração, haverá o programa Conversas de Coxia, que se iniciará no próximo dia 26 de março às 20h pelo Youtube. Este viabilizará o trabalho da equipe técnica do espetáculo e trará histórias vividas por aqueles que estão nos bastidores da cena, como a camareira Conceição Telles, o diretor de cena e contrarregra Gerson Porto, e o técnico e operador de som Arthur Ferreira.

As entrevistas vão registrar os saberes e as competências desses profissionais, com direito a visitas técnicas a cada uma das áreas, como camarim, palco e cabine técnica.

SERVIÇO

  • Espetáculo BR-TRANS
  • Onde: Página no Facebook do Teatro Popular Oscar Niemeyer;
  • Quando? 16 a 28 de março, de terça a domingo às 20h no YouTube.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".