This article is also available in: Español

GAY BLOG BR by SCRUFF

O ator Wentworth Miller disse no Instagram que não fará mais parte do elenco de “Prison Break” por estar cansado de interpretar personagens heterossexuais.

“Estou fora de P.B. Oficialmente. Só não quero continuar interpretando personagens heterossexuais. Suas histórias já foram contadas (e recontadas). Então, sem Michael. Se é fã da série, e está na esperança por temporadas adicionais, entendo sua decepção. Peço desculpas” – disse Miller, que revelou ao público que era gay em 2013.

O ator Dominic Purcell, que também atua em Prison Break interpretando Lincoln Burrows, apoiou a decisão do amigo nos comentários: “Foi divertido, parceiro. Foi uma jornada e tanto. Apoio totalmente e também entendo seu raciocínio. Que bom que você tomou esta decisão por sua saúde e a sua verdade. Continue com suas publicações… te amo irmão.”

Miller protagonizou as quatro primeiras temporadas exibidas pela FOX entre 2005 e 2009. Houve uma quinta lançada em 2017 e está planejada uma sexta.

View this post on Instagram

"This is my favorite IG account," someone wrote in response to a recent post. Thank you. I want you to know I saw that. I see the positive comments and DMs (a lot of them anyway). Affectionate. Supportive. Appreciated (by me). Obviously there are comments and DMs I appreciate less. Who are these people? On my page? What backwards-ass, Stone Age values country did they crawl out of? The U.S.? I won't be disappearing (too many cool things to repost). The ability to comment likely will. I'm not concerned for myself. I can't be "bullied" in this space. I have too much power. "Delete. Block. Deactivate." Etc. But I take seriously the possibility of queer kids visiting here, recently out of the closet or exploring the idea… I don't want them exposed to bullshit. On a related note… I'm out. Of PB. Officially. Not bec of static on social media (although that has centered the issue). I just don't want to play straight characters. Their stories have been told (and told). So. No more Michael. If you were a fan of the show, hoping for additional seasons… I understand this is disappointing. I'm sorry. If you're hot and bothered bec you fell in love with a fictional straight man played by a real gay one… That's your work. – W.M. 🏳️‍🌈

A post shared by @ wentworthmiller on

Wentworth Earl Miller III nasceu no dia 2 de junho de 1972 em Chipping Norton, Oxfordshire, na Inglaterra. Sua família se mudou para o Brooklyn, em Nova Iorque, quando ele tinha um ano. Em 1995, ele viajou para Los Angeles em busca de seu sonho como ator e seu primeiro papel foi interpretando David na minissérie Dinotopia, da ABC.

Logo em seguida ele fez uma aparição no seriado Buffy, A Caça Vampiros e daí ele conseguiu o papel de Michael Scofield em Prison Break, rendendo o Globo de Ouro em 2005 como Melhor Ator em Série Dramática e, desde então, despontou na carreira.

Wentworth Miller, de Prison Break, sai da série: "Cansei de interpretar héteros"
Reprodução

No dia 21 de agosto de 2013 ele se revelou gay ao rejeitar um convite do Festival Internacional de Cinema de São Petersburgo, fazendo duras críticas ao governo em relação aos homossexuais.

“Estou profundamente perturbado pelo tratamento do governo russo as pessoas gays. A situação não é aceitável e eu não posso participar de uma celebração organizada por um país onde pessoas como eu lhes vêem negados os seus direitos a viver e amar abertamente” – disse na época.

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".