O médico infectologista Álvaro Costa, que atua no Centro de Referência e Treinamento de São Paulo (CRT), fez um vídeo para explicar como deve ser o manuseio de máscaras de tecido para que seu uso seja eficiente contra a pandemia do coronavírus.

GAY BLOG BR by SCRUFF

Entre as observações de Dr. Costa, o médico ressalta que as máscaras de tecido também deve ser trocadas a cada três ou quatro horas. Álvaro ainda lembra do procedimento de higienização das mãos por 20 segundos antes de manusear as máscaras.

Assista ao vídeo:

A a função da máscara é cobrir as “portas de entrada e de saída” do vírus no organismo, por isso se faz necessário jamais deixar os lábios e as narinas expostos. Manusear ou descartar o equipamento da forma errada pode até aumentar o risco de contaminação.

Celso Granato, infectologista e diretor clínico do Grupo Fleury, ainda completa que quem usa óculos “sabe que usar máscaras pode ser incômodo”, pois as lentes tendem a embaçar. “Mas não tem jeito. Se descermos o tecido para o meio do nariz, a fixação não vai ser perfeita”, afirma.

Ao fazer pausa para a refeição, jamais apoiar máscara sobre a mesa, pois a superfície pode estar contaminada. “Ainda mais em ambientes de uso comum, como cafeterias das empresas, há o risco de contágio. O ideal é guardar a máscara em um saquinho limpo”, reforça Granato.

VEJA TAMBÉM:

Coletivo LGBT+ vende máscaras para enfrentamento ao coronavírus

Coletivo LGBT+ vende máscaras para enfrentamento ao coronavírus

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.