João Silvério Trevisan fala de sua longa trajetória e conta casos divertidos no podcast do Festival MixBrasil

Referência da militância e literatura LGBT, romancista premiado e traduzido em vários idiomas, Trevisan reflete ideias libertárias e polêmicas

João Silvério Trevisan é escritor, ensaísta e cineasta. Seu projeto atual, a trilogia da dor, revê sua longa experiência de forma confessional, como já vemos no primeiro romance recentemente lançado “Pai,Pai”. Trevisan escreveu entre outras obras importantes “Ana em Veneza”, “Vagas notícias de Melinha Marchiotti”, “Em nome do desejo”, além de ser autor do clássico ensaio “Devassos no Paraíso”, um marco sobre a história da homossexualidade no Brasil. Conhecido também por sua militância, João foi um dos fundadores históricos do Grupo Somos e do jornal “O Lampião da Esquina”, durante a ditadura.

Pela primeira vez, as conferências Festival Mix Brasil foram integralmente gravadas e serão disponibilizadas via streaming. Identidade, feminismos, mercado, política, saúde e literatura são alguns dos pilares que movimentaram as mesas deste ano.

“Enxergamos o mundo a partir de muitos lugares: universidades, museus e galerias, esquinas, palcos, passarelas, telas, corporações, (outras) famílias, organizações e sindicatos, banheirões e darks, coletivos artísticos, grupos de zap, quebradas, assembleias, escritórios, templos, terreiros, espaços de clandestinidade, supremos tribunais, cracolândias, prédios, praças, ruas. Estamos em todos os lugares e de muitas formas”, diz André Fischer, curador do MixConferências.

“Depois de quatro décadas, a ascensão do ultraconservadorismo dá uma cara estranha de recomeço, uma sensação de não-acredito-que-tô-tendo-que-falar-a-mesma-m*rda-há-40-anos”, ressalta Fischer.

Comente