GAY BLOG BR by SCRUFF

Os cinco espetáculos da categoria “Dramática” da 29ª edição do Festival MixBrasil estão disponíveis online e gratuitamente até este domingo, 21, na plataforma Cultura Em Casa. Inéditas, as peças concorrem ao prêmio Coelho de Prata do Festival, cujo resultado também será divulgado neste domingo.

ESPETÁCULOS

Atores e público se reencontram num teatro e dois amantes se reencontram num apartamento após dois anos em que estiveram distantes. Neste cenário, por meio do olhar transformado dos atores e das personagens, busca-se (re)conhecer os espaços e o outro.

Dramaturgia: Thiago Vilanova
Direção geral: Edson Thiago Rossi
Elenco: Julie Leite e Thiago Vilanova
Cenografia: Leon Henrico Geraldi
Preparação de elenco: Ayiosha Avellar
Iluminação: Luana Gouveia
Pianista: Fanny Cabanas

"O Que Resta?" - Foto: Amanda Clemente
“O Que Resta?” – Foto: Amanda Clemente

Dois eles, um cisgênero e um transgênero, casados na vida real, se colocam num palco para juntos realizarem algumas ações e jogos performativos. São criadas imagens que remetem direta ou indiretamente as questões de sexualidade, gênero, existência e essência. Nesse percurso, surgem tensões, contradições e limites que suscitam reflexões acerca do que é um homem, um ele, ou o próprio masculino.

Direção, dramaturgia e performance: Oliver Olívia
Performance: Lucas Miyazaki
Dramaturgismo: Antonio Salviano
Luz: GIVVA
Provocação de movimento: Letícia Sekito
Produção executiva: Corpo Rastreado

"Ele" - Foto: Amanda Clemente
“Ele” – Foto: Amanda Clemente

Entre minhas lembranças de infância, meu comportamento afeminado foi constantemente repreendido, o modo genuíno com o qual eu me relacionava com o mundo. A adolescência me distanciava das meninas, com quem eu tinha maior intimidade, e não me aproximava dos garotos, que sempre apontavam uma estranheza em mim. Eu me vi sem lugar. Fui escondendo meu ímpeto v14d0 para ser um “menino normal”. A voz viada foi silenciada antes que ela aprendesse a falar. Eu retorno à infância e procuro reencontrar esse sussurro de voz na intimidade que eu escondia dos outros, nas memórias abandonadas. Quem sabe assim aquela voz escondida aprenda a falar e a me dizer quem eu sou. “VOZ BIXA” recria uma história, buscando outros modos de enxergar narrativas hegemônicas sobre os corpos e performatividades dissidentes desde a infância, reinventando um universo de memórias que são ao mesmo tempo individuais e compartilhadas.

Criação e atuação: Marco Antonio Oliveira
Figurino e operação técnica: Harth Brito
Criação de boneca: Tuany Fagundes
Produção: Camila Raquel

“O Silêncio Anuncia o Grito ou Voz Bixa” – Foto: Bruna Berthond

Ao revelar seu diagnóstico positivo para HIV, a personagem nos conduz por um passeio através de suas memórias e medos. Nesse trajeto, revive o conflito de compartilhar sua situação de risco com amigos, família e paixões. “Sobrevida” mostra como o que até então era uma sentença de morte se transforma em uma forma de confrontar o estigma de uma vida soropositiva. “A vida precisa nascer!”

Direção e dramaturgia: Jaques Machado
Direção de movimento: Angela Spiazzi
Elenco: Lincoln Camargo, Xandre Martinelli
Produção: Jaques Machado Produções Artísticas
Design de luz: Ricardo Vivian
Cenografia: Rodrigo Shalako
Fotos: Alessandro Quevedo

"Sobrevida" - Foto: Amanda Clemente
“Sobrevida” – Foto: Amanda Clemente

O espetáculo “Venganza: pega homem?” propõe a exibição de um experimento inédito construído a partir de relatos pessoais de abusos sexuais vividos pelas próprias integrantes da Coletiva Verborrágika. O compartilhamento desses abusos desloca o desejo de vingança para um processo de criação cênica com a House of Besher. Dirigido por Danna Lisboa, “Venganza: pega homem?” traz, em tons provocativos, a denúncia da cultura do estupro estruturada pela sociedade cis-heteropatriarcal à qual estamos submetidas. Cansamos de ser culpadas pelas violências cometidas às nossas corpas, e não pagaremos com a mesma moeda. Nos fortaleceremos como sucuris, à espreita, prontas para dar o bote final.

Direção-geral: Danna Lisboa
Performance: Emer Conatus, Laís Efstathiadis, Paulo Silva, Wini Lippi, Leo Braz
Dramaturgia: Laís Efstathiadis, Wini Lippi
Produção: Wini Lippi e Lais Efstathiadis
Preparação corporal: Danna Lisboa
Figurino e beleza: Antônio Adriano
Contrarregragem: Antônio Adriano, Emer Conatus, Paulo Silva, Leo Braz
Trilha sonora: Estúdio 131
Arte gráfica: Antonio Brito
Realização: Coletiva Verborrágika, House of Besher

Os filmes da 29ª edição do Festival também ficam disponíveis até este domingo e podem ser acessados através do link mixbrasil.org.br.

Serviço

29° Festival Mix Brasil de Cultura da Diversidade
Até 21 de novembro| GRATUITO
Onde: culturaemcasa.com.br
Programação completa: mixbrasil.org.br

Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"