GAY BLOG BR by SCRUFF

This article is also available in: English Español

No último dia 20 de novembro, a legislação do Distrito Federal passou a prever multa no valor de R$ 5.320,50 até R$ 106.410,00 para empresas que discriminarem LGBTs e  pena de até cinco anos de prisão para o responsável pela conduta discriminatória. O Supremo Tribunal Federal invalidou um decreto legislativo que havia anulado a regulamentação da lei distrital 2.615/2000, que pune o ódio contra os membro da comunidade, que chegou a vigorar por três dias em 2017.

Outras penalidades incluem advertência, suspensão do alvará por 30 dias e até mesmo a cassação, ou seja, o lugar pode ser fechado de forma definitiva caso a discriminação seja recorrente. Caso um funcionário tenha um comportamento LGBTfóbico, a empresa será responsabilizada e, caso seja um servidor público, poderá ser expulso de seu trabalho.

A lei protege os LGBTs em diversas vertentes, incluindo a proibição da pessoa pelo fato dela ser um LGBT, atendê-la de forma diferenciada, constrangê-la ou negar o contrato de aluguel. Cada caso será recebido e julgado por uma Comissão Especial de Apuração dentro da secretaria de Estado de Direitos Humanos.

Empresas que discriminarem LGBTs no Distrito Federal poderão ser fechadas
Reprodução

Em 2017, a lei foi suspensa pelos deputados distritais com a justificativa de “proteção às famílias”, mas a ministra Carmen Lúcia, que é a relatora, disse que a lei fundamenta-se apenas em “considerações genéricas sobre a necessidade de proteção à família, se se esclarecer como a sanção a práticas discriminatórias em razão da orientação sexual das pessoas interferiria nessa proteção”.

Carmen Lúcia entende que a lei que protege os LGBTs não prejudica a proteção à família, e que o decreto legislativo configura intromissão em competência privativa do Executiva.

“Além de ofender artigo 2º, o inciso V do artigo 49 e o inciso VI do artigo 84, todos da Constituição, atenta o ato agora questionado contra os princípios da dignidade da pessoa humana e da igualdade, em inaceitável retrocesso social na proteção contra condutas discriminatórias em razão da orientação sexual das pessoas no Distrito Federal”, concluiu.

This article is also available in: English Español

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF (Google Play ou App Store) está disponibilizando gratuitamente a versão PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os gays que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".