GAY BLOG BR by SCRUFF

A homofobia entrou em campo junto com a seleção brasileira na Copa América, em pleno Mês do Orgulho LGBTQIA+. O time é o único do torneio que não usa a camisa de número 24. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não quis explicar o motivo para a reportagem do UOL. No jogo do bicho, o 24 corresponde ao veado, termo usado como ofensa a homens gays no Brasil.

Na numeração, a Amarelinha pula da 23 do goleiro Ederson para a 25 do volante Douglas Luiz. A Conmebol não impõe regras sobre a numeração dos uniformes. Excepcionalmente, em razão da pandemia, na Copa América, os times escalado até 28 atletas, e não 23, como de costume.

Nas equipes e seleções de outros países isso não acontece, considerando que não há essa analogia. Todas as outras nove seleções da Copa América contam com jogadores vestindo uma camisa com o número 24. Na Euro 2020, por exemplo, jogadores como Alessandro Florenzi (Itália), Reece James (Inglaterra), Aymeric Laporte (Espanha) e Leandro Trossard (Bélgica) usam o número.

Reprodução

Outros episódios de homofobia aconteceram recentemente. O mais recente deles, segundo o UOL, ocorreu na chegada de Cantillo no Corinthians, quando o então diretor de futebol e hoje presidente, Duílio Monteiro Alves, disse “24 aqui não” no meio da apresentação. Ele usava o número no Júnior Barranquilla. Duilio classificou a própria fala como “brincadeira infeliz”. Menos de um mês depois de ser apresentado, Cantillo foi a campo com o 24 nas costas.

Apesar das campanhas, o futebol mundial ainda enfrenta resistência para se livrar da homofobia. Durante esta semana, por exemplo, a Uefa vetou que a Allianz Arena, em Munique, fosse iluminada no dia de jogo da Alemanha da Eurocopa com as cores do arco-íris. Seria um protesto da Prefeitura de Munique contra um ato do Parlamento da Hungria, que restringia o acesso à informação sobre homossexualidade. A federação considerou a ideia dos alemães como ato político.




Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"

3 COMENTÁRIOS