GAY BLOG BR by SCRUFF

A violenta batida policial no Stonewall Inn, em Nova York, em 1969, é considerada como um marco no movimento pelos direitos dos LGBT+. Até pouco tempo, as autoridades policiais se recusavam a admitir que o comportamento dos policiais e a invasão em si não se justificavam, deixando uma desconfiança ao longo dos anos entre a polícia e os defensores da causa.

Visit The USA
O bar Stonewall Inn. Foto: Visit The USA

Após 50 anos do episódio, pela primeira vez foi feito pedido oficial de desculpas em nome do Departamento de Polícia de NYC pelas ações dos policiais durante a batida em Stonewall. James P. O’Neill, encarregado do NYPD, disse em um evento que “as ações tomadas pelo Departamento de Polícia de Nova York estavam erradas – simples assim”.

stonewall
James P. O’Neill durante o evento. Foto: GettyImages

Em nome dos funcionários do Departamento de Polícia, incluindo o próprio O’Neill, o delegado ofereceu o pedido formal de desculpas pelo culpa que negaram por anos:

“Acho que seria irresponsável passar pelo mês do Orgulho LGBT e para não falar dos eventos no Stonewall Inn em 1969. Eu sei o que aconteceu não deveria ter acontecido. As ações e as leis eram discriminatórias e opressivas e, por isso, peço desculpas”, disse O’Neill.

stonewall

EPISÓDIO DE 1969

O triste episódio de Stonewall começou pouco depois da meia-noite de 28 de junho de 1969, quando oficiais do extinto Esquadrão Moral Público invadiram o Stonewall Inn, um bar gay em Christopher Street, em Greenwich Village.

A polícia disse que eles haviam chegado para dispersar os clientes do bar porque o teria sido violadas leis acerca de bebidas alcoólicas. Oito oficiais e um inspetor chegaram ao clube e ordenaram que cerca de 200 pessoas se alinhassem e mostrassem sua identificação. Alguns foram solicitados a se submeterem a inspeções anatômicas.

O comportamento dos policiais naquela noite rapidamente se tornaria uma mancha no departamento e uma força eletrizante para o movimento LGBT.

“Eles vieram no bar. Eles bateram as pessoas contra a parede. Eles empurraram as pessoas, e eles lançaram insultos que você provavelmente pode imaginar”, disse Mark Segal, 68 anos, que participou dos protestos naquela noite.

Na década de 1960, com frequência a polícia a polícia de Nova York invadia bares gays, prendia travestis e assediava clientes sob o pretexto de reprimir a prostituição ou outras atividades do crime organizado.

50 anos da rebelião de Stonewall será o tema Parada LGBT+ 2019 de São Paulo

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

3 COMENTÁRIOS

  1. […] Em 28 de junho de 1969, por volta de 1h20 da manhã, um oficial da Divisão de Moral Pública, junto de outros guardas disfarçados, invadiu o bar gay Stonewall Inn, localizado no bairro de Greenwich, Nova York. Prendeu diversos clientes, alegando “conduta imoral”, mas o objetivo real era coagir a comunidade LGBT. Batidas policiais em ambientes da comunidade eram frequentes, muitas vezes com demonstração de brutalidade e abuso de autoridade. Desta vez, porém, as coisas não seguiram o roteiro habitual. Como o transporte dos presos demorou muito para ser efetuado, uma multidão de simpatizantes começou a se manifestar contra a batida no local. Esse número só aumentou com o passar das horas, isolando a força policial dentro do bar. Uma mulher algemada foi escoltada para fora, mas conseguiu se soltar. Em poucos minutos, o protesto contra a LGBTfobia policial se tornou violento, com confronto direto entre tiras e membros da comunidade LGBT. O confronto foi dispersado às 4h, porém, no dia seguinte, outras manifestações tomaram conta do local – e se espalharam por outros pontos da cidade. Os eventos que ocorreram no Stonewall Inn levaram às primeiras paradas de orgulho LGBT, como a marcha que aconteceu em 1970, do bairro Greenwich até o Central Park. A data foi considerada o marco zero pela luta por direitos civis das minorias LGBT e logo foi adotada em outros pontos do mundo. Junho também passou a ser considerado o Mês do Orgulho LGBT. Em 2019, pela primeira vez, o NYPD se desculpou e reconheceu publicamente o erro cometido em 1969. […]