GAY BLOG BR by SCRUFF

O ex-jogador de volêi Giba publicou em seus stories no Instagram uma imagem que dizia “Ser gay não é uma escolha, ser homofóbico é”, comemorando o dia 17 de maio, Dia Internacional contra LGBTQIfobia.

Seu posicionamento repercutiu porque, recentemente, o ex-atleta concedeu uma entrevista ao Eduardo Bolsonaro e foi amplamente criticado ao dizer que não é legítimo que pessoas como Tiffany disputem campeonatos de vôlei com mulheres cisgêneros.

Fala fundamentada em fake news

“Se perguntar pra mim, [a resposta é]: faz um campeonato deles [transexuais]. Não tenho problema com gênero, com nada, mas é completamente fora do normal. Joguei com ele [Tifanny] quando ele era homem ainda, hoje em dia joga com mulheres. Ele foi fazer a cirurgia com 30 e poucos anos, e por mais que você faça o tratamento, ele não vai perder aquela força a mais que temos em relação às mulheres”, disse o ex-atleta no canal do Youtube de Eduardo Bolsonaro. 

“Uma pergunta que faço para todo mundo pensar um pouco: se uma mulher é pega no doping com testosterona, ela fica quatro anos fora das quadras. E por que isso não é o contrário? É um questionamento que eu deixo para vocês pensarem um pouquinho”, falou Giba.

Na conversa, Giba utilizou uma fake news de 2018, desvendada pelo site Boatos.org: “É um caso bem complicado. Eu sou presidente da Comissão Mundial dos Atletas na Suíça e a gente teve essa discussão. Tinham federações que aceitavam, mas as confederações não. Tivemos essa discussão. […] Um caso que deu embasamento para que a gente não deixe isso acontecer foi o que aconteceu, se não me engano, em um campeonato de luta. Tipo MMA. Uma menina que fez isso da Bélgica, ela deu uma porrada na cabeça de uma tailandesa e a menina morreu com traumatismo craniano. E aí? Como a gente vai deixar isso acontecer?”, disse Giba. De acordo com o Boatos.org, no entanto, a tal luta sequer aconteceu, já que as lutadoras citadas na notícia simplesmente não existem. Além disto, as fotos vinculadas à notícia “original” são do velório de outra pessoa – no caso, um diretor de uma delegacia, e não da tal lutadora, sinaliza reportagem do UOL.

Junte-se à nossa comunidade

O app SCRUFF está disponibilizando gratuitamente a assinatura PRO no Brasil, com todas as funcionalidades premium. Seja Embaixador SCRUFF Venture para ajudar os LGBTs que estão visitando sua cidade. Tenha uma agenda atualizada das melhores festas, paradas, festivais e eventos. São mais de 15 milhões de usuários no mundo todo; baixe o app SCRUFF diretamente deste link.

Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek. Gay desde que se entende por gente, sempre teve desejo de trabalhar com o público LGBT+ e crê que a informação é a a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia"