Escócia concede perdão judicial aos condenados por homossexualidade

Na terça-feira, dia 15 de outubro de 2019, a Escócia decidiu conceder perdão judicial para os antigos condenados por homossexualidade até os anos oitenta, visando fazer uma “reparação histórica”. A informação foi compartilhada pelo portal G1.

“Centenas de homens na Escócia possuem registro criminal devido a condenações por essa lei discriminatória, que punia também o beijo entre homens e até mesmo o flerte homossexual. ‘Uma condenação dessa poderia significar o fim da carreira, perda de amigos e da família. Todos esses enormes impactos’ “ – afirma o diretor da organização Equality Network, Tim Hopkins.

Já o secretário escocês Humza Yousaf diz que o país não tem mais espaço para homofobia, ignorância e ódio.

A Escócia é o país com o parlamento com maior número de homossexuais que se tem conhecimento, segundo a líder do Partido Trabalhista Kezia Dugdale.

REFERÊNCIA A DIREITOS LGBTS

Escócia educação LGBT
Foto: reprodução

Apesar da homossexualidade ser considerada crime no país até a década de 1980, a Escócia é, atualmente, uma das maiores referências em relação as políticas públicas no combate a homofobia.

Recentemente foi divulgado na imprensa que as escolas passarão a ensinar direitos LGBT+, abordando questões como diversidade sexual e temas como preconceito e discriminação.

“A implementação da educação inclusiva LGBT em todas as escolas públicas é uma novidade no mundo. Em um momento de incerteza global, isso envia uma mensagem forte e clara aos jovens LGBT daqui da Escócia” diz Jordan Daly, cofundador do projeto.

Já o primeiro-ministro diz que o objetivo do sistema educacional é para que os alunos consigam atingir seu “máximo potencial“. Para conseguir este último, o político defende que o currículo precisa ser tão diversificado quanto os próprios jovens.

O fato chamou a atenção da campanha Time for Inclusive Education (“É hora de uma Educação Inclusiva”) que classificou como “momento histórico”.

Segundo um estudo desse órgão, nove em cada dez pessoas do coletivo LGBT na Escócia foram vítimas de algum tipo de homofobia ou transfobia.