GAY BLOG BR by SCRUFF

This article is also available in: Español

Após a atitude homofóbica de uma carola em um pet shop na última semana, Birigui, no interior de São Paulo, voltou a viralizar com outra notícia. Mas desta vez, a notícia veio fazer uma “reparação” na cidade: Lais Fernanda postou em suas redes sociais fotos de seu filho feliz trajando uma fantasia de sereia e segurando uma boneca temática. A imagem, que foi postada tanto no Instagram quanto no Facebook, viralizou rapidamente.

Reprodução/Lais Fernanda brinquedos
Reprodução/Lais Fernanda

“Desde sempre, meu filho gosta de tudo que é de ‘menina’ mas nunca consentimos, sempre oprimidos. Este ano, eu e o pai dele, Everson, entramos em um acordo e decidimos consentir. Confesso que meu sonho como mãe sempre foi deixar ele ir na loja e escolher o que quisesse porque nunca vi ele brincar com um brinquedo se sentindo feliz, os brinquedos sempre foram jogados na caixa e esse ano tive essa oportunidade. Ele entrou e escolheu um jogo, essa boneca e a tão sonhada fantasia de sereia. Talvez você que esta vendo essa publicação não concorde com nossa decisão, mas sua opinião não me importa. O que importa pra mim é o sorriso dele. E ele saber que pode contar comigo e com o pai para o que o futuro tem reservado para ele. Ele é um presente de Deus em minha vida e um dia ele mesmo me disse: Mãe, Deus sabe de todas as coisas. E Deus que me fez assim, então ele sabe o que esta fazendo”, escreveu Lais.

Os comentários, em sua grande maioria, foram relatos de pessoas que cresceram sem poder brincar do jeito que gostariam: “Desde criança meu brinquedo favorito sempre foram bonecas, em especial sereias…. Todos pensavam que eu fosse ser o ‘torto’ da família e que eu precisaria de tratamentos… Durante minha vida sempre fui elogiado pelos meus professores, fui o único da família a passar na faculdade Federal e hoje todos se orgulham! Você é luz, saiba disso”, escreveu um usuário do Instagram. “Os olhos marearam aqui. Parabéns pela coragem, ele tem sorte de ter vocês como pais. Me coloco no seu lugar, imagino que não foi fácil, não porque iriam julgar você, mas porque o mundo pode ser cruel com nossas crianças e queremos protegê-los”, comentou outra usuária.

O que significa quando a criança gosta de brinquedos considerados do sexo oposto?

Segundo o psicólogo Joaquim Leães de Castro, no universo da criança não existe uma diferenciação das coisas masculinas e femininas sob um olhar da sexualidade. Existem príncipes e princesas, claro, e seus respectivos comportamentos, mas eles habitam um lugar do imaginário infantil que não opera de maneira tão direta influenciando na orientação sexual dos indivíduos.

“Na infância, essas diferenças de gênero recaem sobre elementos respectivamente ‘grosseiros’ e ‘doces’: samurais e bonecas, um campo de batalha e uma casa de boneca, coisas que explodem e coisas que ‘embelezam’ – e por aí vai”, exemplifica Joaquim.

“Essas associações e elementos são criados culturalmente a fim de produzir esse binômio. Muitas crianças de sexo masculino (leia-se genitália) irão escolher “coisas grosseiras” – em tese, “masculinas” – e vice versa. Mas muitas não irão fazer essas escolhas. A fantasia e a vontade de participar de brincadeiras são extremamente variadas. E nenhum comportamento deverá ou deveria ser impedido. Não há ali uma escolha consciente da apropriação de um gênero. Muitas meninas irão escolher explodir coisas e isso não é alerta para nada. Tudo faz parte da imaginação e da vontade de explorar. E, por assim dizer, é impossível identificar numa criança sua orientação sexual. Seja ela hétero ou homo. O fato de um menino escolher brincar de cowboy não atesta uma possível masculinidade nem uma possível heterossexualidade. Afinal, se fosse assim, ‘Brokeback Mountain’ seria um filme completamente diferente daquele que vimos 10 anos atrás. Os personagens eram pra lá de viris e másculos, sim? O mesmo vale para um olhar sobre a homossexualidade: o fato das crianças escolherem objetos que serviriam ao sexo oposto não atestam uma orientação sexual homossexual”, pontua o psicólogo.

Leia também: Hasbro aponta a importância de meninos brincarem com bonecas

This article is also available in: Español

Junte-se à nossa comunidade

Mais de 20 milhões de homens gays e bissexuais no mundo inteiro usam o aplicativo SCRUFF para fazer amizades e marcar encontros. Saiba quais são melhores festas, festivais eventos e paradas LGBTQIA+ na aba "Explorar" do app. Seja um embaixador do SCRUFF Venture e ajude com dicas os visitantes da sua cidade. E sim, desfrute de mais de 30 recursos extras com o SCRUFF Pro. Faça download gratuito do SCRUFF aqui.