Seguranças confundem volume de pênis com produto furtado

De acordo com o The Sun, Steve Whitehurst, de 47 anos, foi detido na loja Scotts, na Inglaterra, quando um dos vendedores desconfiou que ele estava levando um produto em sua calça.

Após ser levado pelos seguranças, Steve foi ordenado para tirar as roupas e, para a surpresa de todos, Whitehurst não tinha roubado nada e o volume na calça era apenas seu órgão genital.

Seguranças confundem volume de pênis com produto furtado

“Estava com uma calça jeans apertada naquele dia e tinha um volume, sim, mas isso não é legal. Não tenho culpa de como fui feito.” – disse.

“O gerente começou a querer discutir comigo e não queria me deixar ir. Continuei dizendo que era apenas o meu pênis. Eventualmente abaixei minhas calças na frente de todo mundo e disse ‘está vendo?! não tenho nada a esconder!”

O pênis de Whitehurst possui 25cm e acredita que seja no formato “shower” (exibido, em tradução livre), palavra popular nos Estados Unidos para definir o órgão genital que tem praticamente o mesmo tamanho ereto ou flácido.

Seguranças confundem volume de pênis com produto furtado
Foto: reprodução/ The Sun

Já Whitehurst estava na loja junto com sua namorada, Mandy Shenton e seu neto de 18 meses. Por lá, ele gastou 400 euros em roupas. Mandy não concordou com a conduta dos profissionais da loja, fazendo duras críticas:

“Foi muito humilhante. O que eles fizeram ao Steve foi nojento”.

Já a loja enviou uma nota a imprensa dizendo que não pediu para que Whitehurst exibisse nada, sendo ideia dele mesmo.

“Em nenhum momento alguém pediu para ele tirar a roupa” – diz o comunicado – “Ele abaixou suas calças, mas o volume era muito menor do que o staff lembrava. Ninguém o mandou para um cubículo para mostrar algo. Ele fez porque quis”

A loja também disse ao The Sun que ele estava agindo de modo muito suspeito e que quando o gerente foi confrontá-lo, ele começou a ter um comportamento abusivo.

Foto: reprodução/ The Sun
Foto: reprodução/ The Sun
Jornalista formado pela PUC do Rio de Janeiro, dedicou sua vida a falar sobre cultura nerd/geek e agora está em busca de novos desafios. Gay desde que se entende por gente, sempre teve um desejo de trabalhar com o público LGBT e crê que a informação é a melhor arma contra qualquer tipo de "fobia".