2ª Caminhada da AIDS reúne intervenções artísticas no centro de São Paulo

No último domingo (02), tivemos a 2ª Caminhada da AIDS na região central com diversas atrações culturais.

Com o tema “Lute pela Vida, Lute contra a AIDS”, o centro de São Paulo recebeu na tarde de domingo (2) a segunda edição da Caminhada da AIDS, organizada pela Coordenação de Políticas para LGBT, da Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Cidadania (SMDHC) em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde.

Parte do calendário oficial de eventos do município, a caminhada – que também integra o Dezembro Vermelho, mês de conscientização dos direitos das pessoas que vivem com o HIV – reuniu muitos participantes já na concentração, na Praça da República, às 14h. A abertura contou com o agradecimento da coordenadora de políticas para LGBTI, Bruna Svetlic, aos presentes, lembrando a importância da luta pelos direitos das pessoas com HIV de receberem tratamento e de serem tratadas sempre com dignidade. Em seguida teve oficina de cartazes e empoderamento com a militante LGBTI Nicolle Mahier. A drag queen Tchaka, com muita animação deu a largada, convidou todos a iniciarem a caminhada.

Os participantes saíram da Praça da República às 15h, percorrendo diversas avenidas e ruas como a São Luiz, Coronel Xavier de Toledo, São João e Ipiranga, seguindo até o Largo do Arouche carregando cartazes alusivos ao Dia Mundial de Combate à AIDS, pedindo por respeito aos portadores de HIV.

Em cada parte do trajeto foram realizadas várias intervenções de artistas e cantores ligados à causa LGBTI com a produção artística de Heitor Werneck. Os artistas junto com o movimento social tem papel fundamental na caminhada, animando os participantes, cantando, dançando e interagindo até mesmo com quem passava pelas ruas, buscando conscientizar a população da cidade sobre a necessidade de, cada vez mais, respeitar e não discriminar as pessoas que convivem com o HIV.

2ª Caminhada da AIDS

O objetivo da Caminhada é dar visibilidade para a luta das pessoas com HIV pelo direito ao tratamento, além de conscientizar a população sobre a prevenção e a convivência com o vírus, desmistificando a ideia preconcebida de que pessoas que convivem com o HIV não podem ter uma boa qualidade de vida.

Neste ano, em 5 de junho, a Prefeitura de São Paulo ratificou o seu compromisso com a Declaração de Paris, assinada pelo município em 2015. O prefeito Bruno Covas renovou a parceria com a UNAIDS-Brasil e o compromisso com as metas 90-90-90, que prevê a continuidade dos esforços do município dentro da estratégia da Aceleração das Respostas nas Cidades (Fast Track Cities), rumo ao fim da epidemia da AIDS até 2030.

O evento foi inspirado nas AIDS Walks, caminhadas que acontecem nos Estados Unidos e são abraçadas não só pela comunidade LGBT, mas por toda a sociedade. Esta é a segunda edição da Caminhada – em 2017, foi aprovado pela Câmara Municipal um projeto de lei que a inseriu no calendário oficial de eventos de São Paulo. A edição teve produção artística de Heitor Werneck.

Como o Dezembro Vermelho é o mês da Conscientização e Combate da AIDS, a ação também busca chamar a atenção para as medidas de prevenção, assistência e promoção dos direitos humanos das pessoas que vivem com o HIV. O mês foi escolhido em função do Dia Mundial contra a AIDS, celebrado em 1º de Dezembro no mundo inteiro.